Empreendendo sorrisos

Por Thiago Raydan*
Os Engenheiros da Alegria surgiram em outubro de 2011, criados por um grupo de estudantes universitários da Universidade Federal de Minas Gerais. A ideia é construir sorrisos e impulsionar a arte de inventar – por isso, escolhemos a palavra “engenho” para o grupo. A construção dos sorrisos se dá por meio de visitas solidárias a comunidades carentes, quando buscamos trazer a alegria de uma forma inovadora. Em paralelo às intervenções, o grupo tem a missão de se pautar na metodologia do Jogo Oasis, criada e desenvolvida pelo Instituto Elos, para criar meios de construir sonhos de uma comunidade visitada, abraçando seus potenciais e a energia do nosso voluntariado.
A nossa experiência com o Oasis começou com o Oasis Novo Lajedo, realizado pelo Ânima Educação em Belo Horizonte, Minas Gerais, em 2011. Foi aí que tive minha primeira experiência na construção dos milagres que, quando pensados como sonhos coletivos, se mostram possíveis. E se tornam possíveis de uma maneira divertida e maravilhosa de se trabalhar, onde comunidade e oasianos se abraçam em busca da realização de sonhos.
O ano de 2011 se encerrou com a participação no curso para palhaços dos Doutores da Alegria, uma incrível forma de motivar o relacionamento com as pessoas, que trouxe, de forma mais clara do que nunca, a arte de ser um construtor de sorrisos. Em 2012, embarquei com a iniciativa CHOICE, do grupo Artemisia, uma ação motivadora para universitários inquietos, inovadores ou empreendedores que querem fazer parte da nova geração que está mudando a forma de fazer negócios, incentivando empreendimentos sociais redirecionados à base da pirâmide.
Baseando-me nessas experiências que surgiu os Engenheiros da Alegria: pautando-se na metodologia Jogo Oasis, mas trazendo a energia do teatro, a arte de ser palhaço, plantando sorrisos para colher milagres. Incentivamos o trabalho contínuo de visitas a várias comunidades, de forma que possamos fortalecer a relação entre os nossos voluntários, construindo uma rede enraizada por laços de amizade, sorrisos e benfeitorias.
O programa é voluntário, aberto para todas as faixas etárias, de modo que cada um se torna um Engenheiro da Alegria pelo simples fato de ter, em grupo, três características que levarão à construção de qualquer sonho vigente: projetar, acreditar e construir! Cada um guarda em si um talento e um potencial ímpar de fazer a diferença e não existe diferença maior para nós do que construir sorrisos!
*Thiago Raydan é estudante de engenharia e fundador dos Engenheiros da Alegria

Facebook
Google+
Twitter
LinkedIn

DEIXE UM COMENTÁRIO

Categorias

Arquivos