GSA10: Instituições que apoiam o Guerreiros Sem Armas

28/07/2017 | Ricardo Oliveros | Blog | Tags: Tags:, , , ,

O Guerreiros Sem Armas não aconteceria se não fosse o apoio que as seguintes organizações, instituições e empresas que apoiam nosso programa:

Prefeitura Municipal de Santos é parceira do Guerreiros Sem Armas em todas as dez edições. Este apoio institucional é uma das provas concretas da importância do programa dentro do cenário do desenvolvimento local

PrefeituraSantos

Prefeitura Municipal São Vicente afirma a parceria com o programa pelo segundo ano consecutivo, que começou em 2015, com a comunidade Vila Charms, e neste ano, estamos atuando no México 70.

PrefeituraSãoVicente

Santa Casa de Misericórdia Santos apoio nos atendimentos médicos e emergenciais d@s participantes do Guerreiros Sem Armas, através de convênio 24 horas e eficiência nesta prestação de serviços.

santa casa

Agência Brasileira de Cooperação do Ministério de Relações Exteriores cuida dos vistos de cortesia que facilitam o trânsito dos estrangeiros que participam do programa Guerreiros Sem Armas.

ABC

A relação entre o SESC de Santos e o Elos, em especial o Guerreiros Sem Armas vem de longa data. Nesta edição, a instituição apoiou o curso Elos Novos Lideres.

Sesc_Santos

Mãe Terra Fundada em 1979, a Mãe Terra sempre se apoiou na crença de que uma alimentação natural, composta por alimentos mais próximos dos integrais, é peça-chave para uma vida mais saudável e equilibrada. No Guerreiros Sem Armas a participação da empresa foi através da doação de produtos para apoiar nossa proposta de alimentação saudável.

mãe terra

Jovens Lideranças para Multiplicação de Boas Práticas Socioeducativas está na Fase 2

6/01/2017 | Ricardo Oliveros | Blog, desenvolvimento local, permacultura, Responsabilidade Social | Tags: Tags:, , , , , ,

No final de 2016, Natasha Mendes Gabriel foi a uma missão a convite da Agência Brasileira de Cooperação e da Unesco para visitar a fase 2 do projeto Jovens Lideranças para Multiplicação de Boas Práticas Socioeducativas, em Guiné Bissau.

001

O governo brasileiro, por meio da Agência Brasileira de Cooperação do Ministério das Relações Exteriores (ABC/MRE), realiza ações de cooperação técnica Sul-Sul para apoiar países em desenvolvimento da América Latina e Caribe, África, Ásia e Oceania no fortalecimento de suas instituições e de seus recursos humanos por meio do desenvolvimento das capacidades. Desde maio de 2010, o Instituto Elos é parceiro de uma dessas ações, que atua como complemento estratégico às atividades de combate à pobreza em desenvolvimento pelo Governo Guineense.

O projeto Jovens Lideranças para Multiplicação de Boas Práticas Socioeducativas, financiado e coordenado pela ABC/MRE, é uma ação que acontece na comunidade São Paulo em Guiné Bissau, com os objetivos de fortalecer lideranças, apoiar o Desenvolvimento Comunitário, promover a Educação Integral de crianças e jovens da comunidade do Bairro São Paulo por meio da construção de um Centro Educacional e Cultural onde serão desenvolvidas oficinas no contraturno escolar e nos finais de semana, além das aulas da própria escola.

003

O Instituto Elos participou da primeira fase deste projeto, onde foi responsável a mobilização comunitária e mutirão de construção com jovens da Associação Amizade e da comunidade do Bairro São Paulo. Agora nesta segunda fase, os parceiros brasileiros são: Agência Brasileira de Cooperação, Unesco, Fundação Gol de Letra, Secretaria de Educação de Vitória. Estão desenvolvendo formações e assessoria para a implementação do Comitê Gestor do Centro Educacional Amizade São Paulo e das atividades de educação não-formal como oficinas de corte e costura, música e danças tradicionais, artesanato, esporte.

Nós fomos convidados a visitar o centro educacional Amizade após 2 anos de inauguração com os objetivos de:

1. Assessorar na contratação de serviços de infraestrutura ( poço artesiano, rede elétrica, adaptação de contêiner para projetos de geração de renda e cerca do centro), com objetivo de ampliar a realização das atividades existentes e do plano de sustentabilidade;
2. Realizar um diagnóstico preliminar para estruturação do plano de sustentabilidade do centro educacional. Para esta atividade tive a companhia da Pamela Gaino e da Anna Graziano.
As atividades realizadas: visita ao centro educacional; mutirão de manutenção e organização do centro; oficina de facilitação criativa com educadores (coordenado pela Pamela Gaino); encontros com o Comitê Gestor e oficinas de sustentabilidade ( facilitados pela Natasha); encontro comunitário com pais e encarregados. No dia desse encontro tivemos a apresentação da oficina de dança e música tradicional.

004