The orchestra of dreams

28/09/2012 | mktvirtual | Blog, Responsabilidade Social | Tags: Tags:, , , , , , ,

by Virgílio Varela*

One day the city woke up full of people looking for things. They spoke of things that existed in abundance in the community, asked the residents for their talents and smiled after each question. The community was confused, especially the adults that didn’t understand what was going on. The children talked and talked and took them to all corners of the city, as if to validate the knowledge they had.

Then the next day the same people showed up to ask about dreams. Those who had forgotten how to dream responded by saying they didn’t have dreams and that it was something they hadn’t done for a long time. But because the people asking had the twinkle in their eyes of someone who likes to change the world, smiles on their faces and did not accept “no” as an answer, the people responded and soon the sound of an orchestra of dreams began to arise. Once the orchestra was in tune in the most beautiful sort of way, the people asking the questions and the community turned the dream into reality – a dream full of flowers, inspiring words, perfectly combined colors, scraps of wood transformed into new tables and chairs… and at the end of the day, when the sun was just about to dip below the horizon, everyone danced to “Alma” a song by the Brazilian musician Zelia Duncan which when translated says “Soul, let me touch your soul, with the surface of the palm of my hand.”

The Oasis at Casa da Boba was a unique community experience and happened because the community took to the streets to dream.

The Oasis game took place during the month of September 2012 with the participation of 27 young people, community leaders and social workers.

The initiative was part of the Hub of Social Innovation EDP Foundation program.

Click here to read the text written by Andreia Marques>>

Living on dreams

| mktvirtual | Blog, desenvolvimento local, Responsabilidade Social | Tags: Tags:, , , , , , , , ,

by  Andreia Marques

My name is Andreia Marques, I’m Portuguese and worked as graphic designer at Elos Institute for 9 months.

About a year ago I returned to Portugal but, even today, I continue to be conected to Elos – occasionally as a designer, always as spreader of Elos Philosophy of Transformation.

 

In these last two weeks I took part of the first Oasis Training done in Portuguese land and ended, once again, with the belief that we can live of dream, almost like a piece of candy cloud we eat while we watch everything else passing by. From dreams we live! I could understand that by the gaze of Dina, Maria, Nuno, Sinho and many other people I met, who embraced me without knowing me, who believed and that way transform Boba’s neighborhood even more beautiful, stronger and closest to them and others.

People talked very much about belonging. Belonging to Africa or Portugal, belong to that community. And I think that at the end there was only the smile of understanding that, wherever they come from, they’re not invisible.

This community, so diverse, it’s rich in wonderful talents.

On Saturday, we had the opportunity to try one of those talents with Teresa’s and Ana Maria’s Cachupa. This African dish brought us all together through taste and the pleasure of eating together. Marco, one of the Oasis Game participants, was one of the young people from Boba who brought to us this human richness. Like him, Indira, Dulce, Tiago, Bolacha, Gisela and Soraia – also participants – gradually revealed the amazing people they are, committed to the whole process of the Game in everything they did. I discovered that way that in all of us exists a surprising super talent: the secret of the stories we are, the secret of BEING.

We all have exactly what we need and we are the first of all resources.

During the game, we are challenged to overcome personal and coexistence boundaries. We are challenged to accept, to flow, to be tolerant and ALWAYS believe in impossible things – “six impossible things before breakfast”, like Alice in Wonderland would say!

In this case, of course, we were faced with the difficulty of having permission to use public spaces, even if we were improving them. And, after several conversations with local authorities, we only got that permission on the day before the hands-on. It was a challenge, yes! A very big one! But I’m not skeptical at all. I think that all challenges are presents that we must accept with good faith in the uncertainty of the future. And so it was.

Saturday morning everyone join in the square of the Ramp – that’s how they call it. And we organized ourselves contradicting all the fears and apprehensions of the beginning that we had that no one would show up to help. In this community, people showed up at 9am sharp, with all their strength. During the 2 days we were, for sure, over 150 “Oasians”. And together we made real the dream of having a public space for all ages.

During the task force we painted up six murals, toys were made with tires, pallets and scrap wood, we tended the gardens up and picked up all the trash.

No final do primeiro dia, a Letícia, de 4 anos, plantou a primeira árvore – uma romãzeira, símbolo de abundância!

At the end of the first day, Leticia, with 4 years, planted the first tree – a pomegranate tree, symbol of abundance!

After all we got not only the results but also the emotions and the words of the 27 participants and residents of the neighborhood. My deepest feeling is that saying “I can!” Is the most powerful thing in the world.

“The gratitude of those who receive a benefit is much smaller than the pleasure of those who did it! Thanks for being part of the remodeling of my neighborhood. It was an amazing experience with you. A fantastic experience which will not be mixed up at a Pandora’s box and forgotten. I just hope that we keep the union and contacts. ♥ ♥ ♥ ”
by Bota (one of the locals)

“The dream was accomplished at Casal da Boba, in Amadora! And now imagine, I just went on the second day (and last one) of the activity and I only saw people and people coming people from the surrounding community, all working together, painting, sawing, planting, clean… There were over 100, surely! The lunch was done by one of the residents of the neighborhood, with food bought through money that the facilitators raised in raffles sold in the community! The materials that had to be arrange, were ordered from stores, such as tires, paint, pallets, plants, trees… i.e., all totally free society raised! And in the end, everything was beautiful!!!!!! Colorful… filled with games for children, also tires for children to play, picnic and playing cards tables, colorful benches, seeds, trees, everything clean, new trash bins… and in the end, lots of music and fun!
It was beautiful to see… really! I was tired, so I stood watching the end of the day from outside… everyone in a circle, clapping to each other, embracing each other, smiling… everything had been achieved only in a week, with everyone’s help!… I was looking… thinking that when we want to do something, we really do it… when we believe in things, they actually happen… when we can ask for society’s resources and not spend money, everything is easy… when everyone helps, everything is simple… like happiness, the smiles, the hugs, are common to everyone… regardless of where we live! I loved it!
By Andresa Salgueiro (creator of Project Believe)
“Spectacular… follow your dream!… We dreamed and we made it… ”
By Marcus (Oasis Game participant)
“A miracle was what happened today at Boba! Thank you for this wonderful experience! ”
By Ana Hostel (teacher in Musgueira Neighbourhood)

Click here to read the text written by Virgílio Varela about the Oasis Training Casal da Boba>>

A orquestra de sonhos

| mktvirtual | Blog, desenvolvimento local | Tags: Tags:, , , , , , , , ,

Por Virgílio Varela*, em português de Portugal

Um dia a cidade acordou cheia de pessoas a procura de coisas. Falavam

de coisas que existem em abundância na comunidade, perguntavam aos

moradores pelos seus talentos e sorriam entre cada pergunta. A

comunidade estava confusa, principalmente os adultos que não percebiam

o que se estava a passar. As crianças falavam pelos cotovelos, e

mostravam todos os cantos da cidade. Como se tudo aquilo validasse o

conhecimento que elas tinham.

Depois no dia seguinte, apareceram as mesmas pessoas a perguntar sobre

os sonhos. Aqueles que se esqueceram de sonhar, diziam que não tinham

sonhos e que isso era coisa que já não faziam há muito tempo. Mas como

os perguntadores tinham um sorriso que não aceitava não como resposta

e um brilho nos olhos de quem gosta de mudar o mundo – as pessoas

responderam e começou-se a ouvir uma orquestra cheia de sonhos. A

orquestra em pouco tempo tocava afinada e do acorde mais bonito, os

perguntadores e a comunidade fizeram o sonho tornar realidade: cheio

de flores, palavras inspiradoras, cores que se casavam na perfeição,

madeiras reformadas que se tornaram mesas e cadeiras renovadas… e no

final do dia, quando o Sol já se estava a pôr, todos dançaram ao som

de Zélia Duncan “Alma, deixa eu tocar sua alma/ com a superfície da

palma/da minha mão”.

O Oasis no Casal da Boba foi uma experiência comunitária única e tudo

porque a comunidade decidiu sair à rua e sonhar.

* Virgílio Varela é coordenador do HUB de Inovação Social-Amadora na Fundação EDP.

 

Clique aqui para ler o texto de Andreia Marques sobre este Oasis >>

De sonhos também se vive

26/09/2012 | mktvirtual | Blog, Responsabilidade Social | Tags: Tags:, , , , , ,

Por Andreia Marques, em português de Portugal

O meu nome é Andreia Marques, sou portuguesa e trabalhei no Instituto Elos durante 9 meses como designer gráfica.

Regressei há cerca de um ano a Portugal mas, ainda hoje, continuo a estar ligada ao Elos – pontualmente como designer, sempre como porta-voz da Filosofia Elos de Transformação.

Nestas duas últimas semanas participei do primeiro Oasis Training feito por terras lusas e saí, mais uma vez, com a crença de que de sonhos se pode viver, quase como se fossem um pedaço de nuvem doce que comemos enquanto vemos tudo o resto passar. De sonhos se vive! Consegui entender, no olhar da Dona Dina, da Dona Maria, do Nuno, do Sinho e de muitas outras pessoas que encontrei, que me abraçaram sem me conhecer, que acreditaram e que assim tornaram o Bairro da Boba ainda mais belo, mais forte e mais próximo deles e dos outros.

Falou-se muito de pertença. Pertencer a África ou a Portugal, pertencer àquela comunidade. E acho que ficou o sorriso de entender que, de onde quer que se venha, não se é invisível.

Esta comunidade, tão diversa, é rica em talentos maravilhosos.

No sábado, tivemos oportunidade de “com-provar” um desses talentos através da Cachupa da D. Teresa e da D. Ana Maria. Esse prato típico africano uniu-nos a todos através do paladar e do prazer de comer juntos. O Marco, participante do Jogo Oasis foi um dos jovens da Boba que trouxe até nós estas riquezas humanas. Assim como ele, a Indira, a Dulce, o Tiago, a Bolacha, a Gisela e a Soraia – também participantes –, foram revelando aos poucos as pessoas incríveis que são, comprometidos com todo o processo do jogo e inteiros em tudo o que faziam. Descobri assim que existe em todos nós um super talento surpreendente: o segredo das histórias que somos, o segredo de SER.

Todos nós temos exactamente aquilo que precisamos e somos o primeiro de todos os recursos.

Durante o jogo, somos desafiados a ultrapassar limites pessoais e de convivência. Somos desafiados a aceitar, a fluir, a ser tolerantes e a acreditar SEMPRE em coisas impossíveis – “6 coisas impossíveis antes do café da manhã”, como diria Alice no País das Maravilhas!

Neste caso, desde logo, fomos confrontados com a dificuldade de termos autorização para utilizar espaços públicos, ainda que estivéssemos a melhorá-los. E, após várias conversas com as autoridades locais, só conseguimos essa abertura na véspera do mão na massa. Foi um desafio, sim! Muito grande! Mas eu, que de céptica não tenho absolutamente nada, acredito que todos os desafios são presentes que devemos aceitar com boa fé na incerteza do futuro. E assim foi.

Sábado de manhã juntamo-nos todos na praça da Rampa – é assim que lhe chamam. E organizámo-nos contrariando todos os medos e apreensões do começo do jogo de que ninguém aparecesse para ajudar. Nesta comunidade, as pessoas apareceram às 9 horas da manhã em ponto, com toda a sua força. Durante os 2 dias fomos, com toda a certeza, mais de 150 oasianos. E juntos tornámos real o sonho de ter um espaço público de convivência para todas as idades.

Durante o mutirão pintaram-se 6 murais, fizeram-se brinquedos com pneus, palletes e restos de madeira, cuidou-se dos jardins e apanhou-se todo o lixo.

No final do primeiro dia, a Letícia, de 4 anos, plantou a primeira árvore – uma romãzeira, símbolo de abundância!

Depois de tudo ficaram, não só os resultados, mas também os sentimentos e as palavras dos 27 participantes e dos moradores. O meu sentimento mais profundo é o de que dizer “Eu posso!” é a coisa mais poderosa do mundo.

“A gratidão de quem recebe um benefício é bem menor que o prazer de quem o faz! Obrigado por fazerem parte da remodelação do meu bairro. Foi uma experiência incrível com vocês. Uma experiência fantástica que não sera metida numa caxinha de pandora e esquecida. Só espero que mantenhamos a união e os contactos. ♥ ♥ ♥”

by Bota (um dos moradores)

“O sonho foi realizado no Casal da Boba, no concelho da Amadora! E agora imaginem, eu só fui no segundo dia (e último) da actividade e só via pessoas e pessoas a chegar da comunidade envolvente, todos a colaborar, a pintar, a serrar, a plantar, a limpar… Éramos mais de 100, certamente! O almoço foi feito por uma das moradoras do bairro, com alimentos comprados através de um dinheiro que os dinamizadores angariaram em rifas vendidas na comunidade! Os materiais que se tiveram de arranjar, foram pedidos em lojas, tais como os pneus, as tintas, as paletes, as plantas, as árvores… ou seja, tudo totalmente gratuito angariado na sociedade! E no fim, ficou tudo lindo!!!!!!!!!!! Colorido… cheio de jogos para as crianças, como a macaca e o 35 e também pneus para as crianças brincarem, mesas para pic-nic e para jogar às cartas, bancos coloridos, sementeira, árvores, tudo limpinho, caixotes do lixo novos… e no fim, muita música e diversão!
Foi lindo de ver… foi mesmo! Eu estava cansada, fiquei a ver o final de fora… todos em roda, a baterem palmas uns aos outros, a abraçarem-se, a sorrirem… tudo tinha sido conseguido apenas numa semana, com a ajuda de todos!… Fiquei a olhar… a pensar, como quando queremos fazer algo, fazemos mesmo… quando acreditamos nas coisas, elas acontecem… quando podemos solicitar os recursos da sociedade e não gastar dinheiro, tudo é fácil… quando todos ajudam, tudo é simples… como a felicidade, os sorrisos, os abraços são comuns a toda a gente… independentemente de onde morem! Adorei!
By Andresa Salgueiro (criadora do projecto Believe)
“Espetacular…segue o teu sonho!… Nós sonhámos e conseguimos…”
By Marcus (participante do Jogo Oásis)
“Um milagre foi o que aconteceu hoje na Boba! Obrigada por esta experiência maravilhosa!”
By Ana Albergaria (professora no Bairro da Musgueira)

Clique aqui para ler o artigo de Virgílio Varela sobre o Oasis Training Casal da Boba>>