Escola de Transformação: conheça o Jardim Bassoli, terceiro residencial do DIST Campinas

11/04/2017 | Ricardo Oliveros | Blog, desenvolvimento local, Responsabilidade Social | Tags: Tags:, , , , , ,

A fase I do DIST Campinas foi finalizada no Jardim Bassoli, terceiro residencial, que ao lado do Abaeté e Sirius, entra para a Escola de Transformação. Em maio, acontece a primeira Vivência Oasis no local, e as inscrições já estão abertas aqui.

jardim bassoli

De acordo com o diagnóstico feito pela DEMACAMP e pelo Instituto Pólis, este conjunto residencial da Minha Casa Minha Vida tem 2275 famílias, sendo que 81,3% são chefiadas por mulheres, e 47% delas possuem trabalho remunerado, metade 22,1% tem carteira assinada, ou seja, 77,9% das mulheres chefes de família não tem segurança do trabalho.

A renda mensal não ultrapassa os três salários. As famílias que não tem nenhuma renda representam 29,2%; com até 1 salário mínimo 37,5%, e com renda de 1 a 2 salários, 30,9% o que configura uma maioria de 97,6%5 incluídas na faixa de 1 a 3 salários mínimos.

Vale observar que as famílias não são numerosas, com um tamanho médio de 2,7 membros. Do total de famílias, 27,7% são compostas por 1 pessoa, 22,5% composta por 2 pessoas e 22,1% formada por 3 pessoas.

O Conjunto Habitacional Jardim Bassoli é composto por uma população jovem com 56,7% de crianças e jovens, sendo, 26% de crianças com idade entre 0 e 10 anos, 18,8% de adolescentes entre 11 e 17 anos e 11,9% de jovens entre 18 e 24 anos. Já os adultos, com idades entre 25 e 60 anos, representam 39,7% dos moradores.

A população conta apenas com os equipamentos públicos, como escolas, creches, postos de saúde ou locais de lazer que já existiam nos bairros do entorno antes da implantação do conjunto, sobrecarregados pela nova demanda de atendimento.

São grandes os desafios e estamos ansiosos para saber quais os sonhos que os moradores e participantes vão construir por lá.

****A Escola de Transformação DIST Campinas é uma parceria do Elos com a Demacamp, apoiado pelo Fundo Socioambiental da Caixa Econômica Federal dentro da estratégia Desenvolvimento Integrado e Sustentável dos Territórios (DIST), inclui uma série de ações: formação de lideranças comunitárias, festival de projetos, encontros de troca de experiências, visitas de inspiração em comunidades que trilham o caminho de desenvolvimento pessoal e coletivo. Agradecemos a Prefeitura de Campinas, pelo apoio, em especial ao Gabinete do Vice-Prefeito que tem feito a articulação com as Secretarias do Governo.

Mão na massa na Vivência II DIST Rio Largo tem apoio dos residenciais vizinhos

21/02/2017 | Ricardo Oliveros | Blog, desenvolvimento local, Responsabilidade Social | Tags: Tags:, , , , ,

Nos dias 18 e 19 de fevereiro cerca de 90 pessoas colocaram a mão na massa no Residencial Jarbas Oiticica.  A segunda Vivência Oasis Rio Largo é uma parceria do Elos com IADH – Instituto de Assessoria para o Desenvolvimento Humano, realizado dentro da estratégia Desenvolvimento Integrado e Sustentável dos Territórios (DIST), apoiado pelo Fundo Socioambiental da Caixa Econômica Federal.

001

No sábado contamos com um grupo de Desbravadores, meninos e meninas com idades entre 10 e 15 anos, de diferentes classes sociais, cor, ou religião. Eles se encontram uma vez por semana para aprender a desenvolver talentos, habilidades, percepções, e o gosto pela natureza e nos apoiaram muito no plantio das árvores, em especial.

005

Além disso, estudantes de Design e Arquitetura da UFAL, moradores do Teotônio Vilela e José Carlos Pierucetti (residenciais do Minha Casa, Minha Vida que receberam a Vivência Oasis em outubro/novembro de 2016) e claro, os moradores do Jarbas.

014

Foi muito especial ver os moradores dos diferentes residenciais que fazem parte do projeto DIST em Rio Largo trabalhando lado a lado. Isso tem tudo a ver com a proposta de articular os sonhadores de diferentes comunidades para fazer junto a transformação do território de uma forma ampla, e não somente o seu residencial!

004

“Eu adorei o projeto, adorei todo mundo. Eu fiquei muito feliz de ver todo mundo reunido, todo mundo junto, um sendo companheiro do outro, ajudando o outro. Foi muito gratificante. Tô aqui para o que der e vier. Não vou desistir. Até comentei com meu esposo: ‘Enoque, esse projeto veio para clarear mais a minha mente, pra eu aprender mais, saber mais como lidar com as pessoas e, eu disse a ele, eu precisava disso e chegou na hora certa’”.  Ivone, moradora do Jarbas Oiticica e participante do grupo Faz Sabor que preparou o almoço comunitário do mutirão.

A lista de sonhos realizados em um final de semana: plantio de 33 mudas de árvores (espécies da Mata Atlântica como Ipês e diversas frutíferas como pitangueira, mangueira e cajueiro), plantio de 2 jardins na entrada do conjunto, construção e instalação de conjunto de bancos e mesa na entrada do conjunto, instalação e pintura de placa de identificação do conjunto, pintura das guias com cal, pintura de amarelinha e abecedário no chão, sinalização das quadras (“A” e “I”) e dos pontos de ônibus, construção, instalação e pintura de 5 bancos no canteiro central e construção, instalação e pintura de 7 lixeiras.

“Hoje eu estou me sentindo bem mais tranqüila, saí da ansiedade de alto grau. Principalmente porque eu tive a oportunidade de ver a transformação em uma pequena dose. Eu olhava o processo e dizia ‘não vamos chegar lá, vamos ficar muito distantes’, e aí comecei a ficar ansiosa, aquela coisa de querer fazer tudo, e não acreditar que os outros dentro de sua calma e tranqüilidade, pudessem nos fazer ver a transformação. Hoje, ao entrar no Residencial eu não esperava já ver hoje tudo em desacordo, mas fiquei feliz e está de acordo com a transformação desde quando aqui chegamos. A sementinha da transformação pra mim hoje se revelou.”  Rilma Brandão, participante da formação e equipe IADH.

O que eles combinaram para os próximos passos: regar as árvores e jardins plantados (conversar com os moradores que moram mais próximo para que apóiem na rega diária), fazer um mutirão de limpeza e plantio na primeira praça (o mutirão no canteiro central foi até o trecho onde inicia a primeira praça do Conjunto, no total são 5 praças) e finalizar algumas pinturas (de bancos e de sinalização das quadras) e a colocação das estacas em volta de algumas mudas de árvores.

Moradores do Residencial Abaeté colocam a mão na massa na Vivência Oasis DIST Campinas

15/02/2017 | Ricardo Oliveros | Blog, desenvolvimento local, Voluntariado Corporativo | Tags: Tags:, , , , ,

No final de semana de muito sol em Campinas, 130 moradores do Residencial Abaeté, e 30 participantes da Vivência Oasis da Escola de Transformação, colocaram a mão na massa para realizar os sonhos coletivos do lugar.

“Aos olhos de muitos pode ser pouco, mas aos meus olhos foi muito que fez a diferença. A gente está se unindo e outras pessoas virão. Ontem a noite tocaram no meu condomínio pessoas que eu nem conheço pra dizer que estava tudo muito lindo e que estava super feliz com tudo que estava acontecendo. A gente não saberia dar o primeiro passo e com vocês foi dado o primeiro passo todos juntos de uma só vez”, nos contou Katarina Leme da Silva, síndica do condomínio 06, moradora do Abaeté.

001Rotatória da entrada antes

Os moradores realizaram o sonho de ter uma paisagismo lindo na entrada do bairro que encanta quem por ali passa com plantas ornamentais como ixorias, mini lantana, barba de serpente e palmeiras em toda extensão do canteiro central da Avenida Elza Terrozo Alita.

Rotatória da entrada depois

Para se ter uma ideia, foram um total de 1270 covas abertas para plantio em dois dias de mutirão. Foram construídos 06 bancos de madeiras para a futura Praça da entrada do bairro.

015 WhatsApp Image 2017-02-12 at 19.10.28 (1)

“Foi uma experiencia que me ensinou e inspirou muito. Só tenho a agradecer aos moradores e moradoras do Abaeté pela calorosa recepção e pela amizade sincera que fiz com muita gente, aos outros voluntários que são exemplos de seres humanos fenomenais que realmente fazem valer o seu peso em ouro e ao Instituto Elos pela metodologia de suas atividades e projetos geniais”, Enrico Grazina Dantas, estudante da Facamp, morador de Campinas.

Atividade Caminhão do Desafio_produção de maquete com as crianças

Esse mutirão contou com a participação super especial da Oficina Desafio, um caminhão equipado com diversas ferramentas e materiais que propõe um desafio para uma situação real e é coordenado por uma equipe de monitores do Museu Exploratório de Ciências da UNICAMP.

No Encontro de Futuro, os moradores decidiram que para o próximo mês os moradores querem cuidar de tudo que foi realizado no mutirão promovendo ações do tipo “Adote uma planta para rega”, terminar o plantio de mudas que restaram. Para os próximos 3 meses promover educação ambiental, instalações de lixeiras nos pontos de ônibus. Os sonhos para os próximos 6 meses detalhar o projeto da praça da entrada do bairro com a proposta de ter um espaço para acontecer as reuniões comunitárias, formalizar uma Associação de Bairro, brinquedoteca e uma horta comunitária.

***** A Escola de Transformação DIST Campinas é uma parceria do Elos com a Demacamp, apoiado pelo Fundo Socioambiental da Caixa Econômica Federal dentro da estratégia Desenvolvimento Integrado e Sustentável dos Territórios (DIST), inclui uma série de ações: formação de lideranças comunitárias, festival de projetos, encontros de troca de experiências, visitas de inspiração em comunidades que trilham o caminho de desenvolvimento pessoal e coletivo. Agradecemos a Prefeitura de Campinas, pelo apoio, em especial ao Gabinete do Vice-Prefeito que tem feito a articulação com as Secretarias do Governo, CPFL, em especial ao Cristiano Cucattia, Minha Campinas, e a Oficina do Desafio do MUSEU de Ciência e Tecnologia da UNICAMP, que esteve presente no Residencial Sirius e Abaeté, nos dias de mutirão.

Saiba como foi o mão na massa na Vivência Oasis DIST Campinas no Residencial Sirius

| Ricardo Oliveros | Blog, desenvolvimento local, Responsabilidade Social, Voluntariado Corporativo | Tags: Tags:, , , , , , ,

No final de semana, aconteceu o primeiro mão na massa da Escola de Transformação, no Residencial Sirius, dentro do seu primeiro curso, a Vivência Oasis DIST Campinas. Cerca de 145 pessoas colocaram a mão na massa para construir mobiliários (bancos, mesa de piquenique, mesa de carretel e floreiras), colorir o espaço (pintura de quadro de lousa, telão para projeções, sinalização do espaço comunitário, pintura dos armários de brinquedos e de livros e brincadeiras no chão), plantar (flores, arbustos e horta de temperos e chás) e cobrir o espaço (instalação de sombrite que será finalizada nos próximos dias).

mutirão

Esse mutirão contou com a participação super especial da Oficina Desafio, um caminhão equipado com diversas ferramentas e materiais que propõe um desafio para uma situação real e é coordenado por uma equipe de monitores do Museu Exploratório de Ciências da UNICAMP.

Oficina Desafio - Caminhão

As crianças e jovens do Sirius tiveram a oportunidade de confeccionar diversos brinquedos durante a Oficina Desafio, dentre eles: pisante, jogos da velha, jogos de dama, pista de carrinhos e carrinhos, vai-e-vem, blocos de madeira, roupas de robô e mini cesto de basquete. O Arte em Pneus nos presenteou com um pula-pula e uma amarelinha! As crianças adoraram!

Sirius 2

Para o próximo mês os moradores estão sonhando em iniciar a preparação de um terreno para uma horta comunitária e realizar atividades com as crianças e jovens duas vezes por semana no Espaço Comunitário. Para os próximos 3 meses o sonho de projetar uma creche comunitária, realizar sessões de exibição de filmes/desenhos com rodas de conversa (CineSirius) e construir uma ciclovia foi bastante citado pelos presentes. De longo prazo os moradores querem uma área de lazer ampla com parquinho, campo de futebol e academia de ginástica e uma creche comunitária.

Andrey Marcondes, participante da formação e estudante da UNICAMP, contou: “No primeiro dia, a gente reuniu a criançada, e eles queriam fazer um pebolim e eu pensei: ‘nossa, nunca fiz um pebolim, quase nunca brinquei de pebolim, vai ser um desafio pra mim, mas vamos tentar!. Daí chegou um jovem: o Luiz, ele me deu tanto ânimo, e a gente foi buscar os materiais, daí faltava uma tábua, a gente errava, fazia de novo, tudo a gente vai se acertando, quando as crianças vinham e perguntavam o que vocês estão fazendo e a gente falava que era um pebolim, o rosto delas se enchia de alegria e isso me dava mais ânimo. Quando eu cheguei em casa no sábado fui buscar alguns materiais que poderiam ajudar na mesa de pebolim, daí eu cheguei no domingo e nem usei nada porque eu pensei, vamos usar os materiais que tem aqui, porque se quebrar eles vão saber onde pegar, então usamos o pallet, o cabo de vassoura e a redinha de frutas. No final do domingo o Luiz voltou, e ele ficou super feliz! Eu fui embora do mutirão quase que sem cansaço, de tanta alegria, tudo isso foi incrível, toda essa construção!”

***** A Escola de Transformação DIST Campinas é uma parceria do Elos com a Demacamp, apoiado pelo Fundo Socioambiental da Caixa Econômica Federal dentro da estratégia Desenvolvimento Integrado e Sustentável dos Territórios (DIST), inclui uma série de ações: formação de lideranças comunitárias, festival de projetos, encontros de troca de experiências, visitas de inspiração em comunidades que trilham o caminho de desenvolvimento pessoal e coletivo. Agradecemos a Prefeitura de Campinas, pelo apoio, em especial ao Gabinete do Vice-Prefeito que tem feito a articulação com as Secretarias do Governo, CPFL, em especial ao Cristiano Cucattia, Minha Campinas, e a Oficina do Desafio do MUSEU de Ciencia e Tecnologia da UNICAMP, que esteve presente no Residencial Sirius e Abaeté, nos dias de mutirão.

Primeiro curso da Escola de Transformação começa no Residencial Abaeté

30/01/2017 | Ricardo Oliveros | Blog, desenvolvimento local, Responsabilidade Social | Tags: Tags:, , , ,

Neste final de semana, começou o primeiro curso da Escola de Transformação, de maneira simultânea nos Residenciais Sirius e Abaeté, do Minha Casa Minha Vida. A Vivência Oasis DIST Campinas é um momento muito especial, porque as pessoas vão começar a pensar em quais sonhos que querem realizar a curto e médio prazo.

abaete 01

Aqui você pode escolher se quer participar da formação como um todo, optando pelos diferentes cursos que vão ser oferecidos durante dois anos, ou se quer participar somente do encontros comunitários, que são abertos para a participação de tod@s. Como dizemos aqui no Elos, aprendemos algo, fazendo juntos. Todo conhecimento é bem-vindo e por isso tudo é compartilhado na comunidade. Por isso, as reuniões começam e terminam com a partilha. No Abaeté, são aproximadamente 28 pessoas na formação, e 95 moradores nas reuniões abertas.

abaete 03

“Para mim foi muito gratificante de conhecer vocês. Saber que têm pessoas que querem fazer a diferença de vida das pessoas e incentivar as outras a realizar os sonhos. Com isso fazer as pessoas terem o desejo de somar juntos para alcançarmos o nossos desejos. Ver que temos sementes guardadas em cada condomínio do Abaeté (pessoas talentosas) e cada pessoa que paramos para falar, que elas têm um potencial e são talentosas. Enfim vamos trabalhar juntos para que tudo isso se realizará”, resumiu Roberto, síndico do condomínio 2, sobre a experiência da primeira parte da Vivência Oasis.

abaete 04

Para o Residencial Abaeté, os moradores e participantes decidiram que vão fazer a limpeza de um terreno, implantação de Associação de bairro, bancos e mesas para jogos, paisagismo, brinquedoteca, parquinho, lixeiras. Em outro terreno, vão fazer ciclovia, pista de caminhada, parquinho, academia ao ar livre, pista de skate, bicicletário, quiosque, atividades artísticas, horta comunitária, fonte de água, quadra poliesportiva, melhoria do campo de futebol existente. Na rotatória da entrada, eles querem paisagismo e placa de identificação com o nome da vila. E nas ruas internas do Residencial: limpeza dos canteiros, plantar coqueiros e pingos de ouro, lixeiras pelo bairro. Muita coisa para realizar num final de semana, por isso vamos tod@s colocar a mão na massa nos dias 11 e 12 de fevereiro. Vem com a gente!!!

***** A Escola de Transformação DIST Campinas é uma parceria do Elos com a Demacamp, apoiado pelo Fundo Socioambiental da Caixa Econômica Federal dentro da estratégia Desenvolvimento Integrado e Sustentável dos Territórios (DIST), inclui uma série de ações: formação de lideranças comunitárias, festival de projetos, encontros de troca de experiências, visitas de inspiração em comunidades que trilham o caminho de desenvolvimento pessoal e coletivo. Agradecemos a Prefeitura de Campinas, pelo apoio, em especial ao Gabinete do Vice-Prefeito que tem feito a articulação com as Secretarias do Governo.

Residencial Sirius faz o primeiro curso da Escola de Transformação em Campinas

| Ricardo Oliveros | Blog, desenvolvimento local, Responsabilidade Social | Tags: Tags:, , , ,

“Falar que estamos em um curso, que não sabemos o que vai acontecer. Que dependemos deles, saber os sonhos deles. Dessa forma, rola uma identificação. Na hora de conversar com a comunidade é importante se colocar em uma posição de construir junto e não de fazer perguntas e esperar as respostas.”, Lara Legaspe, uma das 20 participantes da Vivência Oasis DIST Campinas, curso inaugural da Escola de Transformação, no Residencial Sirius.

BEM-VINDOS

Neste final de semana, começou o primeiro curso da Escola de Transformação. Como disse Herbert Santo de Lima, da Equipe Elos, uma escola diferente, que não tem muros, onde todo mundo é professor, todo mundo aprende, e coloca a mão na massa para construir seus sonhos. Veja as fotos aqui: http://bit.do/c7YoB

SIRIUS 02

O pessoal começou a dar os primeiros passos para a grande transformação que está por vir. Em um final de semana, as crianças e adultos sonham muito com um espaço aberto e grande para ser uma área de lazer para crianças e jovens, com parquinho, academia de ginástica, mobiliário (mesas e bancos), campo de futebol com arquibancada, biblioteca (gelateca), arborização do conjunto e espaço para idosos. Tudo isso em um final de semana!!!

SIRIUS 04

Já os sonhos de longo prazo, eles querem uma creche, escola, posto de saúde, projeto de geração de renda com materiais recicláveis. Vamos juntos conquistar isso tudo. Nas reuniões abertas, 150 moradores estavam presentes. Está todo mundo convidado para colocar a mão na massa nos dias 11 e 12 de fevereiro.

“Como eu moro aqui, minha visão é diferente. Constantemente eu procuro ver tudo que é bom, mas como a maioria das pessoas aqui é difícil, a gente volta a fazer as reclamaçõezinhas, tem uma visão que é diferente. Quando a gente está na companhia de pessoas que não são daqui, fazem essa caminhada junto e vai sem esses preconceitos, vai despido, querendo receber o que tem de bom aqui é muito gostoso, é diferente. É uma vivência diferente. Geralmente eu estou sozinha e se eu vou conversar com alguém não adianta, agora quando eu fui com outras pessoas, a gente escuta e daí vai falando olha que legal isso, olha que legal aquilo… vocês são pessoas que conseguem ter a visão que eu tenho, morando aqui, e que é difícil encontrar alguém que veja junto comigo”, Jóice Danielli Segatti, doula comunitária, moradora do Sírius.

SIRIUS 05

***** A Escola de Transformação DIST Campinas é uma parceria do Elos com a Demacamp, apoiado pelo Fundo Socioambiental da Caixa Econômica Federal dentro da estratégia Desenvolvimento Integrado e Sustentável dos Territórios (DIST), inclui uma série de ações: formação de lideranças comunitárias, festival de projetos, encontros de troca de experiências, visitas de inspiração em comunidades que trilham o caminho de desenvolvimento pessoal e coletivo. Agradecemos a Prefeitura de Campinas, pelo apoio, em especial ao Gabinete do Vice-Prefeito que tem feito a articulação com as Secretarias do Governo.

Saiba como foi o primeiro ciclo da Escola de Transformação DIST Campinas

20/01/2017 | Ricardo Oliveros | Blog, Responsabilidade Social | Tags: Tags:, , ,

A Escola de Transformação DIST Campinas, uma parceria do Elos com a Demacamp, apoiado pelo Fundo Socioambiental da Caixa Econômica Federal dentro da estratégia Desenvolvimento Integrado e Sustentável dos Territórios (DIST), inclui uma série de ações: formação de lideranças comunitárias, festival de projetos, encontros de troca de experiências, visitas de inspiração em comunidades que trilham o caminho de desenvolvimento pessoal e coletivo.

LOCALIZAÇÃO DIST CAMPINAS

Antes da Vivência Oasis, que abre a Escola de Transformação, no dia 27 de janeiro, estamos na fase final do Ciclo 1, relativo à Análise e Conexão, ou seja, a descoberta da realidade local e estabelecimento de parcerias para a jornada. A Demacamp fez o Diagnóstico Urbano com leitura técnica e comunitária da situação atual dos empreendimentos, suas condições sociais e físicas, os principais desafios, através de levantamento de dados, relatório técnico, diagnóstico participativo.

Do dia 17 até 26 de janeiro serão feitas as apresentações dos resultados em reuniões comunitárias. Serão 10 reuniões para o Residencial Abaeté, e 15 reuniões no Residencial Sirius. Assim que a primeira fase do DIST terminar no Residencial Bassoli, as mesmas ações acontecerão por lá. No dia 17 de janeiro teve apresentação para a equipe técnica do DIST da Caixa Econômica Federal.

caixa

Destaque para os desafios e oportunidades para cada um dos conjuntos habitacionais. Em cada reunião, os moradores são convidados a ampliar a lista abaixo.

Desafios do Residencial Abaeté

O sistema de lazer não foi implantado; a localização dos terrenos públicos foi concentrada no limite rural do mesmo; faltam árvores nas calçadas; uma única área para equipamentos sociais; estão em construção dois equipamentos sociais: creche e o posto de saúde (San Diego); os equipamentos sociais do entorno não conseguem atender a demanda total do Abaeté; comércios instalados nas calçadas; ausência de equipamentos de lazer; vagas em escolas próximas insuficiente; ausência de equipamentos culturais; distância dos equipamentos de saúde.

Oportunidades do Residencial Abaeté

Acesso fácil para o centro e outras regiões de Campinas; proximidade com a área rural produtiva, Aeroporto de Viracopos e o distrito industrial; boas áreas comuns; ação civil no Ministério Público sobre a construção do conjunto; revisão das áreas de zoneamento no Plano Diretor.

rodas de conversa

Desafios do Residencial Sirius

O sistema de lazer não foi implantado; a  localização dos terrenos públicos foi concentrada no limite rural do mesmo; faltam árvores nas calçadas; uma única área para equipamentos sociais; os equipamentos sociais do entorno não conseguem atender a demanda total do Sirius; não há lotes comerciais: comércios instalados nas calçadas e em avenida; ausência de equipamentos de lazer; vagas em escolas e creches próximas insuficiente; distância dos equipamentos de saúde.

Oportunidades Residencial Sirius

O Parque Linear do Rio Capivari; Escola Técnica Federal; boas áreas comuns; ação civil no Ministério Público sobre construção de equipamentos e cessão de terreno; revisão das áreas de zoneamento no Plano Diretor.

abaeté

O próximo passo é a Vivência Oasis, que acontece simultaneamente nos dois conjuntos, e que é o primeiro curso da Escola de Transformação. Se você quer participar, por favor, faça sua inscrição aqui: www.bit.ly/escoladetransformacaocampinas.

Saiba como foi o mão na massa da Vivência Oasis DIST Rio Largo

16/11/2016 | Ricardo Oliveros | Blog, desenvolvimento local, Responsabilidade Social | Tags: Tags:, , ,

Uma comunidade pronta para ação e muito generosa foi a definição que os facilitadores usaram para falar dos moradores e participantes da Vivência Oasis Rio Largo, uma parceria com IADH – Instituto de Assessoria para o Desenvolvimento Humano no projeto em Rio Largo, realizado dentro da estratégia Desenvolvimento Integrado e Sustentável dos Territórios (DIST), apoiado pelo Fundo Socioambiental da Caixa Econômica Federal.

Bazar para arrecadar fundos para o mão na massa

Bazar para arrecadar fundos para o mão na massa

Nos dias 12 e 13 de novembro, Clarissa MüllerNiels Koldewijn, Isadora Padilha e Sandra Amália, colocaram a mão na massa ao lado de 120 pessoas para realizar os sonhos coletivos dos Residenciais Barnabé Oiticica, José Carlos Pierucetti, Demorisvaldo Wanderlei, e Teotônio Vilela. Vale destacar que antes do mutirão, a comunidade captou mais de R$ 500 com rifa, bazar e algumas doações de amigos. “Isso é um dado bem bacana, porque eles foram muito pró-ativos. Visitaram todas as empresas da região, como usinas de beneficiamento da cana-de-açúcar, lojas de materiais de construção e indústrias diversas”, contou Clarissa.

Preparação do terreno do jardim

Preparação do terreno do jardim

“No final do dia do sábado quando a gente percebeu que no começo estava tudo mato e naquele momento estava tudo limpo foi muito impactante. Ver um pai passando com o carrinho do filho hoje de manhã lá, onde antes tinha um monte de lixo foi muito bom. Uma coisa que eu aprendi muito foi a comunicação. Chegar nas empresas e saber o que falar, como falar, saber escutar”, revelou José Flávio, participante da formação e morador do conjunto José Carlos Pierucetti.

Graças ao empenho de todos, num final de semana, eles fizeram a limpeza da praça, plantio de árvores e jardim, cercamento de parte do jardim, manutenção e pintura dos equipamentos de ginástica existentes, início da construção do piso do coreto (nivelamento com entulho e barro), início da construção da cobertura (pergolado) de bambu, reforma do piso da quadra, construção e instalação de brinquedo de pneus, início da construção e instalação de bancos de alvenaria e pintura de muro vizinho à quadra.

Paisagismo

Paisagismo

“O que mais brilhou pra mim foram as conquistas coletivas. Meu principal aprendizado é acreditar na capacidade do grupo, e isso vem de uma fala a partir de uma vivência comprovada não é só ‘ah, você tem que acreditar no seu potencial’, é baseado no que a gente já conseguiu”, Sandro, participante da formação e educador social no Instituto Girassol de Desenvolvimento Social.

Alongamento

Alongamento

No Encontro de Futuro, a comunidade não fez por menos. Tudo começou com uma sessão de alongamento e massagem, seguida de um banquete de café regional com cuscuz, tapioca, queijo coalho, pão caseiro, e depois foram formados os grupos:

- manutenção – focado no cuidado com as plantas (regar, replantar, controle das formigas saúva, etc.)
- mutirão – para finalização do coreto, cobertura e bambu, pinturas e bancos e construção da arquibancada de pneus e novos mobiliários
- captação de recursos – estratégias de captação permanente para viabilizar os mutirões e a manutenção da praça
- eventos e atividades – grupo que irá organizar e realizar eventos na praça, para estimular o uso e cuidado do espaço e, também, arrecadar fundos para manutenção da praça. Atividades como zumba, capoeira e bingo estão previstas.

“É a primeira vez que eu participo da Vivência Oasis, desde que eu conheci a metodologia em 2013 fiquei apaixonada, encantada. Porque eu acredito nisso, que a gente tem que fazer coisas diferentes que toquem o coração das pessoas. E eu fiquei extremamente tocada de ter sido aceita por Fátima e Érica. Vocês não têm noção de como foi estar na cozinha com vocês. O amor que elas entregaram para a comida vocês não tem noção. E a minha alegria de estar ali. Eu chamava: ‘Masterchef’, que era a Fátima e a Subchef Érica e perguntava a elas o que fazer, e eu numa alegria imensa de estar aprendendo com vocês. Porque eu não tive isso na minha vida, com a minha mãe. Eu tive com a Fátima e com a Érica. Muito obrigada”, Mônica Isabel Alves Rodrigues, participante da formação e técnica social da Caixa.

Muito mais do que construir praças, pintar muros, é este espírito de conexão uns com os outros, a formação mais profunda do sentido do que é uma comunidade, de fazer coisas juntos, ver que a transformação é possível e acontece, é o que sempre desejamos com as Vivências Oasis!!!

Saiba mais sobre a Vivência Oasis DIST Rio Largo em parceria com IADH

1/11/2016 | Ricardo Oliveros | Blog, desenvolvimento local, Responsabilidade Social | Tags: Tags:, , , ,

Depois de dois anos trabalhado com quatro comunidades da Baixada Santista, fomos convidados para uma parceria com Instituto de Assessoria para o Desenvolvimento Humano (IADH) no projeto em Rio Largo, realizado dentro da estratégia Desenvolvimento Integrado e Sustentável dos Territórios (DIST), apoiado pelo Fundo Socioambiental da Caixa Econômica Federal.

dist rio largo 05

No final de setembro, Rodrigo Alonso e Clarissa Müller foram conhecer o território e realizar visitas de mobilização institucional e comunitária, tendo em vista a realização da Vivência Oásis no Núcleo 1 do projeto, composto pelos Residenciais Barnabé Oiticica, José Carlos Pierucetti, Demorisvaldo Wanderlei, Tavares Granja e Teotônio Vilela.

De acordo com Ronaldo Camboim, “a avaliação dos resultados alcançados foi bastante positiva e animadora, tanto por parte da comunidade dos Residenciais como das instituições visitadas”.

encontro com lideranças

A primeira reunião com a equipe Elos aconteceu na sede da Associação Comunitária do Residencial Teotônio Vilela e contou com a presença de  lideranças dos Residenciais e das técnicas da equipe ELOS em Alagoas, as arquitetas Isadora Padilha e Sandra Amália, além da equipe técnica do IADH, Rilma Brandão e Giselle Freitas e do coordenador do projeto, Ronaldo Camboim.

dist rio largo 02

Durante a estada da equipe ELOS foi realizada uma série de  reuniões: com o diretor Gaus Andrade, do Centro de Ciências Agrárias da Universidade Federal de Alagoas (UFAL); com o Comando da Aeronáutica, Gal Paulo Henrique Amaral e com a equipe técnica da Coordenação de Habitação da Secretaria de Desenvolvimento Social de Habitação da Prefeitura de Rio Largo, Renata Alves e Raimunda Lima; com a Diretora Josicleide Amorim, da Escola Municipal de Ensino Básico Gustavo Paiva, situada no Residencial Barnabé Oiticica, onde serão realizados os dois Módulos da Vivência Oásis; com o Secretário Estadual de Desenvolvimento e Assistência Social, Antonio Pinaud; com a Superintendência de Projetos Sociais da SEINFRA, Vanessa Martins e a Coordenadora de Projetos Marta Lécia Ribeiro.

dist rio largo 04

No final de semana entre os dias 21 a 23 de outubro, a primeira parte da Vivência Oasis Dist Rio Largo, com 25 participantes na formação, e 106 moradores nos encontros comunitários. Clarissa, Niels, Sandra (GSA 2104) e Isadora, participante do Oasis Training Canteiro Mais Cultura, foram os facilitadores da ação.

Depois de realizarem as etapas do olhar, do afeto, estes são os sonhos coletivos que vão ser realizados nos dias 12 e 13 de novembro: manutenção da quadra de esportes, construção de arquibancada de pneus, manutenção dos equipamentos de ginástica, parquinho para as crianças, plantio de jardins, construção de pista de skate, construção de área coberta (pergolado), construção de piso no coreto já existente, construção/reforma de caminhos, pista de caminhada e construção/ instalação de bancos e mesas.

maquete

“Hoje eu tive a certeza que o amor é a base de tudo, da transformação, ele é o grande transformador. O amor é capaz de mover o mundo.” Renata Januário (participante e funcionária da Habitação Social em Rio Largo.

Todo mundo convidado para colocar a mão na massa dias 12 e 13 de novembro! O ponto de encontro é na Escola Municipal Gustavo Paiva, no Conjunto Barnabé Oiticica.

Elos e Demacamp celebram parceria para DIST 2 em Campinas

30/06/2016 | Ricardo Oliveros | Blog, desenvolvimento local, Responsabilidade Social | Tags: Tags:, , , ,

Em abril de 2016, foi aberta uma seleção pública  do Fundo Socioambiental da Caixa Econômica Federal  para atuar com Desenvolvimento Integrado e Sustentável em  Territórios (DIST) da Minha Casa Minha Vida nas seguintes cidades: Campinas (SP), Fortaleza (CE), Lauro de Freitas (BA), Ribeirão das Neves (MG), Rio Largo (AL), São José do Ribamar (MA) e Timon (MA).
O Elos inscreveu uma proposta  em parceria com o Demacamp, escritório que desde 1999 desenvolve projetos na área de Meio Ambiente e Habitação e Urbanismo, teve o projeto “DIST Campinas – Uma Escola de Transformação para Comunidades Empreendedoras” selecionado para atuar na cidade.

O projeto abrange os 3 empreendimentos da Minha Casa Minha Vida (MCMV)Sirius, Abaeté e Jardim Bassoli. O objetivo central é incentivar o processo de mobilização comunitária que apoie os moradores a se tornarem cidadãos ativos na dinamização e transformação do território, tornando-os responsáveis pela melhoria das condições urbanas, ambientais, econômicas, sociais, políticas e institucionais, em busca da qualidade de vida das famílias mobilizadas. O primeiro passo é a realização de um diagnóstico.

Jardim Bassoli, uma das 3 comunidades que serão atendidas pelo DIST 2 Campinas

Jardim Bassoli, uma das 3 comunidades que serão atendidas pelo DIST 2 Campinas

A Vivência Oasis será o primeiro curso da Escola de Transformação que, orientada pela Filosofia Elos, através da dinâmica de jogo, que vai mobilizar  moradores dos 3 empreendimentos, além de governo, empresas e instituições, numa parceria para interagir e realizar um sonho em cada  comunidade a partir dos recursos e talentos locais.

Após nossa experiência de dois anos no DIST I, com o projeto Comunidades Empreendedoras, percebemos que o trabalho simultâneo e interativo em 3 comunidades cria um sentido de movimento, dando a noção real de não estar sozinho e se percebendo parte de algo maior. Isto gera tanto um ambiente propício para a cooperação e a troca de experiências.