Guerreiros Sem Armas: saiba sobre a seleção do programa

20/02/2017 | Ricardo Oliveros | Blog, Jogos de Transformação, Responsabilidade Social | Tags: Tags:, , , ,

Dentro do processo de seleção do Guerreiros Sem Armas, procuramos desde 1999, um modo criativo para selecionar os candidatos ao programa. O Caminho do Sim é um jogo colaborativo, onde os participantes já colocam a mão na massa para transformar o mundo, mesmo antes de chegar aqui. O grande avanço é que em 2014, o jogo ganhou uma plataforma interativa, com a programação desenvolvida com a MKT Virtual de Santos. O jogo também é usado nos últimos quatro anos do processo de seleção do Programa Jovens Talentos da Arymax e no Novo Programa Instituto Reciclar. Fizemos uma entrevista com a Val para saber mais sobre esse processo que é ser selecionado para o Guerreiros Sem Armas.

Comitê de Seleção

Comitê de Seleção do Guerreiros Sem Armas

O que falamos pouco, é que para escolher os candidatos para o programa, temos um Comitê de Seleção que é formado por Val Rocha e Fernando Conte (GSA 2012), do Núcleo de Relacionamento do Elos, e neste ano, por facilitadores do Núcleo de Realização, como Clarissa Muller (GSA 2012), Mariana Felippe (GSA 2009), Niels Koldewjin (GSA 2011) e Renata Laurentino (GSA2012). Temos também @s  Guerreir@s sem Armas, como Simone Batista (GSA 2014), Hannah Needleman (GSA 2015), Daniella Dolme (GSA 2015).

Vale lembrar, que todos os Jogos de Transformação do Elos, entre eles o Caminho do Sim, têm como principais características:

1. Ao final todos saem ganhando

Independente de ser selecionado ou não para um determinado processo, o participante tem um ganho significativo ao final do jogo.

2.  Cultura de feedback

Todos que terminam o jogo participam de uma conversa onde pessoas que avaliam os resultados lhes apresentam os pontos positivos e negativos do processo.

3.  Estar pronto para ação

Uma questão que é importante dentro dos games do Elos é mostrar que além de ser capaz de formular um plano, o participante demonstra que é capaz de realizar alguma etapa significativa do plano.

4.  Capaz de articular uma ação coletiva

A colaboração entre os participantes é fundamental para o sucesso durante o desenvolvimento do jogo. Eles devem ser vistos como parceiros e uma rede de talentos e recursos que está disponível para todos.

CaminhodoSim

Colocar a mão na massa é um dos desafios do Caminho do Sim

 

Por que dizemos que o Caminho do Sim não é uma competição?

Para começar o processo de seleção, “temos uma reunião de abertura onde falamos sobre a atitude ética para a leitura da jornada de cada participante, porque existe uma confiança das pessoas que estão no jogo e colocando fatos muito pessoais”, esclarece Val sobre como se inicia o processo de seleção.

Os membros do comitê quando lêem as cinco ações que são executadas pelos participantes, procuram saber o que cada um(a) está buscando, quais os desafios que estão presentes na jornada atual, e quais as qualidades que dispõem para alcançar suas metas.

Por isso, não é uma competição, e não há comparação entre os jogadores. Existe sim, uma combinação entre o que o programa oferece como base de desenvolvimento pessoal e coletivo, e o momento de vida, as inquietações e expectativas dos futuros Guerreir@s. Por exemplo, se na jornada @ participante, está buscando uma especialização em alguma técnica, como permacultura, por exemplo, o Guerreiros Sem Armas, não responde esta questão.

gsa

O participante deve saber analisar seus desafios e qualidades durante o Caminho do Sim

O que @s selecionad@s têm em comum?

A grande novidade na rodada de 2017 são os vídeos gravados pelo consultor Aser Cortines sobre temas que estão relacionados com as ações propostas pelo Caminho do Sim. Ele fala sobre Inteligências Múltiplas, Comunicação Não Violenta, a importância do propósito, como domar seu Dragão e Futuro. Estas falas colaboram para quem está jogando aprofunde questões que poderiam passar despercebidas, alem de colaborar em entender e lidar com os desafios pessoais.

Aser Cortines

Aser Cortines

“Uma característica comum entre @s selecionad@s é a urgência, expressa em falas do tipo: ‘ como está não dá para ficar’, em relação a alguma situação que lhes incomoda. É aquele momento em que percebem que precisam mudar algo e não dá para esperar”.

Ao final do jogo, todos os que terminaram as etapas, podem participar de uma conversa de feedback que dura entre 40 minutos a 1h20, que serve para aprofundar os aprendizados e aponta a responsabilidade de cada um quanto as oportunidades que surgiram no seu caminho.

gsa03

Não importa o tamanho da ação proposta, mas o quanto que o participante está comprometido com ela

Mais informações: Guerreiros Sem Armas

*** A 10a. edição do Guerreiros Sem Armas conta com a parceria da Codesp, da ADM, do Guardiões da Transformação, nosso programa de doação recorrente. Colabore você também

10a. edição do Guerreiros Sem Armas ganha edital da CODESP

18/01/2017 | Ricardo Oliveros | Blog, Responsabilidade Social | Tags: Tags:, ,

Nosso primeiro parceiro da 10ª. edição do Guerreiros Sem Armas é Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp). O Elos se inscreveu no programa no edital de patrocínio da Companhia, e foi selecionado ao lado de outros 5 projetos.

No final do ano passado, Rodrigo Alonso assinou o contrato ao lado do pelo diretor-presidente da empresa, José Alex Oliva, na sede da Codesp. Na cerimônia de assinatura, o presidente convidou os presentes para participaram ativamente nas comemorações dos 125 anos do Porto de Santos, dia 2 de fevereiro.

codesp patrocino

Esta é a segunda vez que a Codesp apóia o Guerreiros, além de termos sidos selecionados, em 2016, com o Festival Elos nos morros. Gostaríamos de parabenizar os outros projetos selecionados:

Mantas do Brasil, do Instituto Laje Viva: O projeto visa a preservação da maior espécie de arraia do mundo (Manta birostris), além da preservação e a conscientização acerca do Parque Estadual Marinho da Laje de Santos.

Descida das Escadas de Santos: A competição de ciclismo é uma referência da modalidade Downhill Urbano no Brasil. A prova tem é assistida por cerca de 10 mil pessoas no local, além de televisionada em rede nacional.

Santos Jazz Festival: O evento promove shows de música com intérpretes brasileiros e algumas participações internacionais, com palcos em praças e lugares abertos da cidade, com média de 17 apresentações, valorizando a cena cultural local.

Pinacoteca Benedicto Calixto: A Pinacoteca Benedicto Calixto é um dos principais aparatos culturais da cidade de Santos, recebendo mostras temporárias, apresentações musicais e teatrais, e com um importante acervo do pintor santista que lhe confere o nome. A Pinacoteca deve receber uma exposição comemorativa dos 125 anos do Porto de Santos.

Coral Infantil Porto dos Anjos: o projeto divulga o repertório erudito e folclórico de canto coral infantil, fornecendo bolsas de estudo a crianças em situação de risco, que estudam música e realizam apresentações. Este projeto recebe pela primeira vez o patrocínio da Codesp.

O Caminho da Expansão: a Re-Evolução dos Guerreiros Sem Armas

29/09/2015 | Val | Blog, desenvolvimento local, Jogos de Transformação, Linha do Tempo Elos, Responsabilidade Social, Youth led initiative | Tags: Tags:, , , , , , , , ,

A parte mais visível da Jornada do Guerreiro, sem sombras de dúvidas, é o período de vivencia de 32 dias, em Santos. Na verdade, são 2 anos de um processo intenso, que começa no processo de seleção, com o Caminho do Sim, e termina com o Caminho da Expansão, que foi desenvolvido pelo Niels Koldewijn, Paulo Farine Milani, Simone Batista e Natasha Mendes Gabriel.

Folder GSA_com logos_com caminho expansão

Esta última etapa, tem a duração de 18 meses, sendo que tempo de participação em cada circuito é de, no mínimo, 6 meses (um ciclo). Ao final de cada ciclo, refletiremos juntos sobre o próximo passo. Se o GSA seguir o mesmo circuito ao longo dos 18 meses, passará por 3 ciclos:

1) No primeiro ciclo, é convidado a fazer um projeto com um grupo que você
faz parte ou irá formar;
2) No segundo ciclo, será desafiado a realizar um projeto no mesmo circuito, mas em um setor social diferente;
3) No terceiro ciclo, é um período para intensificar o processo de crescimento, expandindo as ações que realizou nos meses anteriores.

caminho da expansão BLOG

Saiba como funciona cada circuito

Circuito de Inspiração
Para quem quer estar conectado aos circuitos e à rede do GSA, mas não tem tempo para dedicar-se à rotina de atividades do Caminho de Expansão.

O Circuito de Inspiração oferece materiais e referências da rede de guerreiros e do Elos através da Plataforma de Jogos Elos, além de Encontros Virtuais bimestrais.

Circuito de Experimentação
Para quem quer ir mais fundo em diferentes experiências, conhecimento e práticas que vivenciamos durante o programa. O Circuito de Experimentação oferece acompanhamento na aplicação da Filosofia Elos e Jogo Oasis em diferentes setores e contextos.

Aqui você terá material de apoio para realizar ações rápidas, como o Jogo Oasis, através da
Plataforma de Jogos Elos, além de Encontros Virtuais bimestrais e Acompanhamento de Projetos via
Google Sala de Aula e horas de coaching com facilitador Elos.

Circuito de Aventura
Para quem quer realizar sonhos coletivos, materializando projetos de médio prazo ou participando de ações empreendidas junto à rede de guerreiros. O Circuito de Aventura oferece estratégias e apoio no desenho de projetos com duração de 3 a 6
meses.

Aqui você terá acesso a apresentações de caso, material sobre a Filosofia Elos e tecnologias sociais que podem apoiar no projeto sonhado, através da Plataforma de Jogos Elos, além Encontros Virtuais bimestrais e Acompanhamento de Projetos via Google Sala de Aula e horas de coaching com facilitador Elos.

Circuito de Empreendedorismo
Para quem quer realizar um sonho coletivo de longo prazo. Nesse circuito você pode criar seu
próprio roteiro de ação, com foco no aprimoramento e alinhamento com seu propósito de estar no mundo.

O Circuito de Empreendedorismo oferece estratégias e intercâmbios para quem quer ser um
transformador social e quer realizar seus trabalhos alinhados à Filosofia Elos. Aqui você terá acesso a apresentações de exemplos inspiradores, material sobre a Filosofia Elos, tecnologias sociais e planejamento estratégico através da Plataforma de Jogos Elos, além Encontros Virtuais mensais e Acompanhamento de Projetos via Google Sala de Aula e horas de coaching com facilitador Elos.

Na terça-feira 29 de setembro abrimos oficialmente o I Caminho da Expansão, o lançamento de um novo jogo na nossa plataforma, com uma conferência on-line com os participantes do processo. O Caminho de Expansão é um jogo privado e estará disponível apenas para os participantes deste programa de 18 meses.

HEADER GUARDIÕES

Comunidades Guerreiras, como elas estão?

| Val | desenvolvimento local, Responsabilidade Social, Sem categoria | Tags: Tags:, ,

Logo após o programa o nosso time de facilitadores teve reuniões de planejamento estratégico para alinhar o trabalho no José Menino, Téteu e Vila Charm’s. Eles voltaram às comunidades para escutar dos moradores, quais eram os sonhos, planos, expectativas e compromissos para os próximos 3 mses. Esse processo deu origem a uma agenda de trabalho intensa por aqui!

Lembra da Banana Land?

A feira está rolando quinzenalmente, mas o grupo não apareceu para a reunião. Parte do grupo quer fazer fixa perto da escadaria e outra parte quer fazê-la itinerante também explorando a área mais perto do Morro da Asa Delta. Grupo do Bananaland está rolando e eles estão lidando com as questões da associação de moradores. Eles adoraram a exibição do Roda VP e também querem começar a fazer cinema, criaram uma página no Facebook em que postam quase todo dia.

Grupo da feira está convidado para ir na feira do Guapurá dia 19 e jovens para participar da oficina de documentário do Querô na VP.

Vila Charm’s – a cultural center for a vibrant community

 

O que mais está rolando é o centro comunitário, que eles estavam fazendo mutirão, mas acabou o material (falta telhado, janelas, piso e revestimento interno). Eles querem fazer cinema lá dentro. Parte das pessoas têm grande interesse em fundar uma associação comunitária e estão pensando em estratégias para levantar fundos.

Monica e dona Maria do Socorro estão cuidando da horta e mantendo um grupo de mulheres. Por conta própria, elas escreverem para Clarissa e foram no Dia do Brincar na União, Monica articulou jovens para a oficina na VP e irá na Jornada do Herói.

Tetéu segue construindo o seu centro cultural com muitas mãos e muito amor

Estamos trabalhando com um grupo, focado no Centro Cultural que também faz a manutenção da quadra e do parquinho. Eles tem um time de futebol que está muito feliz com a quadra reformada. Na primeira reunião teve uma questão com o tráfico, uma tensão sobre quem iria comandar o espaço. Uma das pessoas ativas no grupo é esposa de um cara que recém se afastou do tráfico e levantou a questão de se afastar do grupo caso o tráfico assumisse. A relação entre Nando e o tráfico está ok, nenhum deles vão assumir o espaço. O grupo que está mobilizado é formado por Natasha, Nanny, seu Vicente, Pezão e Bruno. Andamento da construção: querem bater a laje para fazer o segundo piso. Estão planejando a captação de recursos via brechó (Nanny) e uma festa.

GSA 2015: Codesp é uma das empresas que acredita no Guerreiros Sem Armas

17/07/2015 | Ricardo Oliveros | Blog, Comunidade Elos, Linha do Tempo Elos, Responsabilidade Social | Tags: Tags:, , ,

Faz parte do jeito Elos de ser buscar parceiros que estejam alinhados ao nosso propósito e de nossos programas. No Guerreiros Sem Armas não é diferente e é por isso que ficamos muito felizes em dar destaque às organizações que nos apoiaram a tornar essa edição real! Muito obrigado pela parceria, Codesp.

Codesp_GovernoBrasil

“A Codesp mantém um diálogo permanente com as comunidades onde o porto atua, visando contribuir com soluções que proporcionem melhor qualidade de vida. Desta forma, procura destinar recursos para projetos sociais, ambientais e esportivos demandados pela região, buscando sempre aqueles que possam trazer benefícios para a Baixada Santista. A empresa dispensa especial atenção às comunidades próximas às regiões portuárias e a oportunidade apresentada pelo Guerreiros Sem Armas, de estabelecer um relacionamento com os moradores dessas localidades, vem ao encontro das políticas de desenvolvimento social e cultural adotadas pela Codesp. As perspectivas de aprimoramento, aliadas à grande visibilidade do projeto e as contrapartidas de imagem, fizeram com que se destacasse entre mais de 60 outros proponentes que participaram do processo seletivo para patrocínios em 2015.”

Angelino Caputo e Oliveira
Diretor-Presidente

Comunidades Empreendedoras no encontro do DIST em Brasília

6/11/2014 | Ricardo Oliveros | Blog, desenvolvimento local, Responsabilidade Social | Tags: Tags:, , , , , , , , , ,

A Thais Polydoro do Elos está em Brasília para o encontro do DIST (Desenvolvimento Integrado e Sustentável de Territórios), uma ação prevista no Plano de Aplicação do Fundo Socioambiental da CAIXA. Ela apresenta, ao lado de outras entidades, a experiência que estamos fazendo no Comunidades Empreendedoras: Guapurá, Prainha, Vila Progresso e Caminho da União, todas localizadas na Baixada Santista. DIST O conceito de moradia não se resume apenas a uma casa ou apartamento. É também a vida em comunidade, a administração do condomínio, o relacionamento com o poder público e a qualificação profissional. Foi a partir desse entendimento que a Caixa Econômica Federal, por meio do Fundo Social da CAIXA, vem desenvolvendo, junto com uma série de entidades, um programa que tem como objetivo estimular o desenvolvimento e sustentabilidade de conjuntos habitacionais do Programa Minha Casa Minha Vida. A edição de 2014 dos Guerreiros Sem Armas foi realizada em janeiro, mas o acompanhamento do projeto continua, com o apoio da CAIXA, com o nome de Comunidades Empreendedoras. “Esta parceria tem possibilitado que a gente acompanhe essas comunidades durante 18 meses e potencialize o que elas querem. Com o apoio, podemos realizar as reuniões, convidar pessoas para palestrarem, ampliar repertórios com visitas a outras comunidades”, explica a Thais, gestora de núcleo de realização do Elos. Para o gerente nacional de Sustentabilidade e Responsabilidade Socioambiental da CAIXA, Jean Benevides, o programa Guerreiros Sem Armas traz forte investimento na mobilização das pessoas para a realização de desejos compartilhados pela comunidade. “Os aspectos positivos estão nas potencialidades das pessoas e lugares, e não nas dificuldades; na valorização dos sonhos compartilhados como impulsos para a mudança e na concretização de resultados visíveis em curto prazo”, comenta.

Por que a gente faz o Guerreiros Sem Armas? Emygdio Carvalho responde

23/10/2014 | Ricardo Oliveros | Blog | Tags: Tags:, , , , ,

Mais uma vez a equipe do Elos já está a mil, pensando, preparando e sonhando com o GSA 2015. O que faz a gente  mover, literalmente, mundos e fundos, e investir nossa melhor versão neste programa? Muitas vezes, as respostas surgem de maneiras inesperadas. Emygdio Carvalho é um dos nossos mais que queridos amigos e parceiro de longa data. Ele deu este depoimento, que nos emocionou muito: emygdio 2 “O que foi o Guerreiros para mim? Uma experiência curta que vale por uma década. O GSA ecoa em meu coração e em minhas ações até hoje, 5 anos depois. Em resumo te digo: o GSA não mudará você, mas revelará quem você é, e expandirá sua melhor versão. Eu tive a honra e sorte de viver essa transmutação com muita gente de muitos países e contar com o (literal) apoio da equipe do Elos que sabe equilibrar autonomia com cuidado. Se você mergulhar de cabeça na metodologia e confiar, entrará numa bela jornada, talvez a mais bonita em anos. Sobre o pós-guerreiros. Quando voltamos, o mundo na superfície está igual, mas nós voltamos aprofundados, e vemos o mundo também com outra profundidade. Os desafios permanecem os mesmos, mas seu olhar muda e começa a enxergar outras possibilidade. Dificuldades existem, claro. Mas sempre que precisar, uma pessoa mais forte, serena e focada estará por perto: você mesmo! E quando esquecer que você mesmo sabe a resposta, tem uma comunidade toda de Guerreiros para te lembrar quem realmente você é. Para entrar nesta jornada, é simples: diga sim.” Sobre Emygdio Carvalho: Para quem não conhece o rapaz, o currículo dele impressiona. Empreendedor com formação em Administração Publica pela Fundação Getulio Vargas (FGV-SP), com foco em Reforma do Estado e Análise de Poder, e pela Georgetown University (EUA) em seu Global Leadership Program. Na Gestão Pública, já trabalhou em governos de São Paulo e Minas Gerais. Ligado a causas sociais foi co-criador e facilitador do Movimento Oásis Santa Catarina, reunindo mais de 10 mil pessoas (online e offline) para ajudar na reconstrução de comunidades atingidas pelas enchentes de 2008. Foi GSA 2009. Idealizador e co-fundador do Movimento #EuVotoDistrital que hoje conta com mais de 100.000 pessoas mobilizadas pela Reforma Política, em todos os estados do Brasil. Emygdio é também um dos fundadores do Instituto Tellus, com foco em inovação e design de serviços públicos. Atualmente é fundador e co-CEO da ben Benefícios. Uma start up social no mercado de benefícios corporativos com intuito de gerar impacto econômico direto nas vidas de colaboradores de empresas e suas famílias. Vale a pena assistir a sua fala no TED 2011: http://youtu.be/__D0ZaFdmRM

Guerreiros Sem Armas – assista os novos vídeos no blog!

18/09/2014 | Val | Blog | Tags: Tags:, , ,

* Por Val Rocha Tenho uma relação visceral com os vídeos do Guerreiros Sem Armas. Desde 2009 eles são motivo para muita ansiedade e noites não dormidas antes da aprovação final. Depois que estão prontos, assisto com tranquilidade e posso dizer que todos, sem exceção, me emocionam até hoje. E não sou só eu: as outras pessoas da equipe e todos os envolvidos na produção do vídeo vivem esta montanha russa de emoções, sem falar nos participantes do programa que ficam sempre muito ansiosos para ver o resultado da experiência na telinta ou na telona. Este ano não foi diferente, depois de muito trabalho temos vídeos lindos e pela primeira vez disponibilizados em uma só versão no youtube com a opção de assistir com ou sem legenda nos idiomas português, inglês ou espanhol. Através do olhar de Eliza Capai e Patrick Vanier me encanto ao redescobrir como o programa que é para muitos, e que já acolheu mais de quatrocentos jovens, guarda espaço para as histórias únicas. Para mim o Guerreiros Sem Armas tem tudo a ver com abrir espaço no presente para um mundo utópico que, por todas as tendências e notícias de jornal, só poderia existir em algum lugar de um futuro distante. Eliza me mostra claramente que o programa consegue realizar o impossível: o melhor mundo existe aqui e agora, não sem esforço e muito trabalho. O esforço maior, que reconheço nestas histórias tem a ver com sair da zona de conforto e mover-se em direção a algo que é verdadeiro.  Me reconheço na história de Biz, que encontrou no programa uma forma de aprendizagem que lhe permite conectar-se mais e mais consigo e com o mundo: o aprender como uma forma de experimentar que alimenta e é alimentado pela experiência viva. Na segunda história eu me emociono com a capacidade empática de Conchi, que constrói pontes com as pessoas com a mesma naturalidade com que busca respostas para sua pergunta orientadora – Como viver em comunidade? Me delicia ir aprendendo com ela – que revela de forma generosa – a sua forma, o seu segredo de construir Afeto e conectar-se de forma empática com o outro. Talvez seja um pouco perverso, mas é também uma provocação em tempos de tanta urgência e rapidez ir revelando estas histórias a cada sete dias, pois é assim que estes vídeos serão publicados: um a cada semana. Tem um gostinho dos tempos em que a única forma de receber notícia boa era esperando o carteiro. E eu preciso confessar: essa espera, esse ritmo, esse demorar-se em saborear um boa história, tem um charme que me conquista :-) Para ver aos vídeos com legenda, assista no youtube, é só clicar na janela.

120 vezes o melhor dos mundos em que sonhamos viver: quem aceita o desafio?

28/09/2012 | mktvirtual | Blog, Uncategorized | Tags: Tags:, , , , , , , , , , , , , , , ,

Por Tony Marlon*


30 dias. 59 jovens. 8 línguas. 3 continentes representados e mais de 300 horas de atividades vivenciais. Apenas em Santos, litoral paulista, onde acontece o programa, três comunidades e centenas de moradores mobilizados em mutirões de transformação. A começar pelos números, o programa Guerreiros Sem Armas impressiona. Mas não para por aí.
Desde que aconteceu pela primeira vez, há 12 anos, o número de jovens formados pelo Instituto Elos chega a 360, criando uma vibrante e dinâmica rede de empreendedores sociais que já impactou positivamente mais de 200 comunidades em 26 países.
E não, não para por aí.

O DESAFIO
Entre um abraço e outro de despedida, as últimas horas de Guerreiros Sem Armas 2012 foram de muita conversa olhando para o futuro. Planos e mais planos desenhados em cima de um desafio, mais que isso: um convite a continuar caminhando juntos: realizar 120 Oasis pelo mundo.

Lançado o desafio, os guerreiros iniciaram as conversas de canto de corredor buscando as melhores estratégias para fazer esses Oasis acontecerem. Glenda Barcarol e Clarissa Müller, no entanto, já sabiam o “como”, já sabiam a comunidade e até a forma de convidar as pessoas. Esperavam apenas chegar a Curitiba, Paraná, para diminuir em um o marcador do desafio.

“Ainda durante o programa, Glenda e eu decidimos a data do nosso mutirão: seria nos dias 11 e 12 de agosto”, contou Clarissa, direto da Finlândia, onde está em um intercâmbio. “Eu estava com a passagem comprada e teríamos que fazer o Oasis a tempo de realizarmos tudo antes da minha viagem”. E deu. Uma semana depois de voltarem pra casa, Clarissa e Glenda visitavam o Jardim Paraná, comunidade que recebeu o mutirão. E a multidão: guerreiros sem armas do Brasil, Índia e Turquia foram para Curitiba oferecer seu apoio. E um pouco mais de fé de que tudo daria certo. E deu.

“Quando pensávamos que ninguém iria aparecer pro Show de Talentos, o salão ficou lotado, com diversos talentos infantis, juvenis e adultos sendo apresentados e aplaudidos”, lembrou Clarissa. Tudo que aconteceu no Oasis Jardim Paraná pode ser visto clicando aqui.

Da experiência, além das transformações físicas e das relações, muito aprendizado a ser compartilhado. Esse, aliás, é o próximo desafio de Glenda, que junto com Cibele Debiasi, participante do movimento Oasis Santa Catarina (realizado em 2009 – saiba mais aqui), oferece através da HUB Escola de Florianópolis a oportunidade de mais pessoas conhecerem e serem impactadas positivamente pela Metodologia Oasis. Clarissa, de muito longe, continua sua jornada de guerreira publicando um e-book,  onde relata sua experiência no GSA 2012 – uma das contrapartidas oferecidas àqueles que apoiaram financeiramente a sua participação no programa, e já prepara os próximos passos: conversas com organizações locais finlandesas para a realização de mais Oasis por lá.

“Há um momento que representa, com perfeição, meu aprendizado no Oasis Jardim Paraná. Foi no dia da Re-Evolução, quando uma senhora ligada à igreja, responsável pelo espaço que estávamos usando para as reuniões na comunidade, falou para o João (oasiano de 8 anos, nosso companheiro do início ao fim): ‘Viu só, João, que legal o que eles fizeram aqui na comunidade?’. Ele, então, se virou para ela e respondeu: ‘Não foram eles, fomos nós’. Aí está um lindo ponto de luz que sabemos que vai continuar brilhando e iluminando a comunidade Jardim Paraná.”
Clarissa Müller

BOAS HISTÓRIAS INSPIRAM BOAS HISTÓRIAS

Boas conversas, aliás, tem sido uma estratégia bastante usada por essa turma para inspirar, engajar e mobilizar pessoas pelo Brasil e pelo mundo. Na volta ao seu estado, Minas Gerais, Nuno Arcanjo participou da Escola de Inverno do The Hub Belo Horizonte, com uma oficina criativa em que compartilhou a experiência de ter vivido o Guerreiros Sem Armas. Com o título “Como transformar a realidade com as próprias mãos”, o encontro conectou novos interessados em espalhar a metodologia pela cidade, impulsionando novos mutirões.

A pouco mais de 220 quilômetros dali, Mayra Temponi também acessava suas boas lembranças, inspirando pelo exemplo. Compartilhou suas memórias com jovens empreendedores sociais conectados à CHOICE, além de reunir colegas e alunos de onde trabalha para vivenciar as etapas da metodologia através de workshops.

Sua contribuição direta para cumprir a meta? Está organizando seu primeiro Oasis em uma escola pública na periferia de Viçosa – as conversas com a escola já começaram. Entre os envolvidos nessa história que apenas começa, estudantes universitários da cidade, jovens que moram nas comunidades e Gabriel Agrelli, Guerreiro Sem Armas 2009 que fez acontecer dezenas de mutirões em escolas de Campinas, interior de São Paulo. Mayra se conectou a Gabriel em busca de inspiração e estratégias que deram certo em seus Oasis, trazendo para a prática o “fazer junto”.

Conexão. Está aí uma palavra que resume bem as histórias que estamos contando. É um que encontra ao outro, e que acaba descobrindo que ambos têm amigos, ideias e sonhos em comum. E, pronto: a conexão se estabelece. E os vínculos se estreitam. Transformações a caminho. É o caso do Oasis Berlim. Pensado por um grupo do qual faz parte a guerreira sem armas 2011 Johanna Bachmann, quem esteve inspirando os participantes da iniciativa em uma conversa recente foi Nola Bally, guerreira 2012. Duas gerações de participantes oferecendo o seu melhor para fazer acontecer transformações reais na Alemanha. Mas não é apenas por lá.
João Henrique Arcalá conheceu a Metodologia Oasis ano passado, quando esteve no Rio de Janeiro para o Oasis Cidade de Deus, uma das maiores comunidades do Rio de Janeiro. Raphael Polydoro também participou da jornada. E também da última edição do Guerreiros Sem Armas. Resultado: estão começando a desenhar o Oasis – Gaia Sorocaba.  Com um oceano de distância, as quenianas Grace e Peninah já fizeram acontecer transformações com a materialização de sonhos coletivos no Oasis Kaswesha.

E para colocar na agenda, a Mão na Massa do Oasis Aldeia – Continuidade dos Sonhos,  acontece nos dias 29 e 30 de setembro, com a participação direta do guerreiro de Minas Gerais, Brasil, Jamerson Mancio que está fazendo junto com o Instituto Elos a mobilização dos moradores. (saiba mais na página da Comunidade Nostra).

E o número de Oasis pelo mundo aumentará nos próximos dias. Kurt Schoop, Guerreiro de Curaçao, e Felipe Denz, do Brasil, estão em fase de planejamento. No mínimo, sete novos Oasis à vista. Vamos?
Seja por meio de workshops ou vivências, boas conversas ou colocando literalmente a mão na massa, jovens de todos os cantos estão fazendo acontecer transformações ES-PE-TA-CU-LA-RES em pessoas e lugares.
E você, qual está sendo o seu jeito de mudar o mundo? Conte pra gente.

*Tony Marlon é guerreiro sem armas 2009, formado em Jornalismo pela Universidade Santo Amaro – UNISA, vem se dedicando a pesquisar como as Tecnologias de Informação e Comunicação – TICs, impulsionam transformações e geram impactos positivos reais na sociedade. Empreendendo o Instituto Escola de Notícias desde 2011, tem o sonho de contribuir para uma educação fortalecedora de propósitos, não criadora de profissões.  tony@escoladenoticias.org / www.escoladenoticias.org

Oasis Capão: saiba como foi o Olhar e Afeto

| mktvirtual | Blog, desenvolvimento local | Tags: Tags:, , , , , , , , , ,

Por Ana Avelar e Renata Laurentino

Somos da nova geração de guerreiros sem armas; vivemos a formação em julho deste ano. Quando pensávamos que estávamos indo para casa descansar e assimilar tudo que vivenciamos em um mês muito intenso e de muito trabalho, recebemos uma notícia espetacular: fomos convidadas a facilitar um Oasis no Capão, um bairro da cidade de Garopaba, em Santa Catarina. O Oasis Capão é uma iniciativa da Evoluos Foundation como forma de estimular o desenvolvimento local naquela comunidade.

Acabamos de vivenciar o OLHAR e o AFETO, numa expedição surpreendente. Todos os pequenos medos e receios de quem facilita um Oasis pela primeira vez estavam presentes, mas eles foram sendo dissolvidos em cada conversa, abraço, sorriso e história que ouvíamos. Também tivemos uma surpresa muito agradável, que foi a companhia da facilitadora Thaís Polydoro nesse primeiro contato com a comunidade. Ela foi uma grande inspiração na forma como se relaciona com as pessoas, e sua experiência nos ajudou a deixar nossas relações mais harmoniosas e verdadeiras. Valeu, Thaís! Sua presença foi E-P-E-T-A-C-U-L-A-R!

A comunidade nos recebeu carinhosamente e nos emocionou ao apresentar seus preciosos talentos. Aprendemos a fazer trança de chapéu da palha do butiazeiro, farinha de mandioca, tarrafa… Uma cultura tradicional que estava timidamente escondida na modernidade foi se revelando.

Finalizamos a expedição com uma “Roda de Histórias” onde estavam presentes representantes de muitas gerações e de muitas tribos, formando assim nossa teia de memórias e saberes que continuará sendo tecida durante as próximas etapas o jogo.

Em outubro voltaremos à comunidade para realizar o Show de Talentos e encontrar sonhos. Enviaremos notícias! Se quiserem acompanhar e participar do OASIS CAPÃO, curta a página no Facebook:

https://www.facebook.com/OasisCapaoSc?skip_nax_wizard=true

Um grande abraço