GVT NA PRAÇA: moradores de Brasília constroem muitos sonhos em final de semana

9/11/2015 | Ricardo Oliveros | Blog, desenvolvimento local, Linha do Tempo Elos, permacultura, Responsabilidade Social, Voluntariado Corporativo | Tags: Tags:, , ,

Foi um sucesso o Mão na Massa no Recanto das Emas, Praça da Quadra 102, dentro da programação do GVT NA PRAÇA em Brasília, uma parceria com o Elos, moradores do Recanto das Emas, participantes da Vivência Oasis, voluntários, totalizando cerca de 240 pessoas em dois dias de transformação de sonhos em realidade.

000

A lista de sonhos coletivos dos moradores não era pequena: “Vamos revitalizar a quadra, construir um parquinho, uma área de skate, um palco para atividades culturais, pintar o muro da escola, uma horta comunitária, cantinho da leitura e instalar a cobertura da academia de ginástica, que será instalada nos próximos 15 dias”, contam Renata Laurentino e Clarissa Müller, da Equipe Elos.

028

Com a ajuda de todos, pintaram os quatro muros da escola, que teve a participação dos alunos da escola Classe 102, com cerca de 50 crianças envolvidas. Teve plantio de 70 arvores, e 300 mudas de plantas. A horta é de temperos e plantas medicinais.

010

“Muitas senhoras da comunidade plantaram! E muitas pessoas trouxeram suas mudas para a praça! Um casal trouxe um Ipê e fizeram questão de plantarem. Falaram que estavam buscando um lugar para que a árvore pudesse crescer e quando viram o plantio na praça acharam que era a hora e o lugar certo”, disse Clarissa Müller.

008

Todos os sonhos foram realizados, e os acabamentos que faltaram, os moradores vão levar adiante. “Eu confesso que estava com o pé atrás, não acreditei a primeira vez. Mas quando vocês voltaram eu comecei a acreditar. Eu acho que isso é o pontapé tem muito por fazer. E nós vamos fazer o calçadão aqui, pode deixar. Isso é por nossa conta. Agradeço muito, vocês vão estar para sempre nos nossos corações.” Seu Geraldinho, liderança da Quadra 102 – Recanto das Emas.

Veja o álbum de fotos no Facebook do mão na massa no Recanto das Emas 

Veja a matéria da TV Globo mostrando como foi o mão na massa no Recanto das Emas

 

Murais e famílias são destaques do mão na massa do GVT na Praça em Curitiba

30/06/2015 | Ricardo Oliveros | Blog, desenvolvimento local, Responsabilidade Social | Tags: Tags:, ,

A segunda etapa no GVT NA PRAÇA 2015 aconteceu em Curitiba, e revitalizou uma praça localizada na Rua Rio Mucuri com a Rua Epaminondas Santos, no Bairro Alto. Cerca de 270 pessoas, em especial moradores e participantes da Vivência Oasis, deram forma aos sonhos coletivos para o espaço.

IMG_4577

De acordo com Renata Laurentino, da Equipe Elos, os sonhos realizados foram:

  1. Revitalização da quadra realizada com o apoio da prefeitura de Curitiba),
  2. Instalação de academia de ginastica,
  3. Mesas de jogos,
  4. Construção de uma área para as crianças com brinquedos
  5. Canteiros com flores e plantas nativas.

 IMG_4469

Um dos grandes destaques da ação que ocorreu no final de semana, foi a pintura de todos os muros da praça. ”Coordenei a pintura de um mural gigante no Bairro Alto com moradores, voluntários e crianças. Uma super experiência!”, escreveu Thiago Thipan, em sua página no Facebook.

Renata conta que uma das características do mão na massa em Curitiba foi a participação de famílias inteiras envolvidas com as diferentes ações realizadas no local.

Destaque para o pessoal da alimentação que preparou comidas juninas, numa celebração muito especial para todos.

IMG_4492

GSA Madrid e Elos Holanda abrem campanha para Oasis em Zarzalejo

1/12/2014 | Ricardo Oliveros | Blog, desenvolvimento local, Responsabilidade Social | Tags: Tags:, , , ,

Quem manda notícias é Marta Orihuel (GSA 2014) diretamente da Espanha. O GSA Madrid e o Elos Holanda estão fazendo uma campanha de crowdfunding para fazer um Oasis em Zarzalejo.

OASIS ZARZUELO

Ela conta que na fase de Re-Evolução do GSA 2014 descobriram que um sonho comum entre os guerreiros e guerreiras da Europa era de se conectar com os GSAs de outros anos e ter um espaço para conhecer, compartilhar e refletir sobre o que queriam transformar para poder impulsionar os sonhos com todos reunidos.

A evolução deste sonho e seus cuidados foi materializada em uma reunião em Zarzalejo, uma vila nas montanhas a oeste de Madrid, com 28 pessoas de diferentes países ligados à filosofia Elos e ao Jogo Oasis difundidos na Europa durante os últimos cinco anos, onde foram aplicadas esta e outras ferramentas que têm sido colocadas em prática nos processos participativos e da comunidade local para enfrentar os grandes desafios sociais, ambientais, econômicos e culturais que enfrentamos hoje.

“Querer ir mais longe e aproveitar o poder deste grupo maravilhoso, e o encontro europeu foi o ponto de partida do Oasis Zarzalejo, proporcionando um círculo emocionante de sonhos na aldeia”, escreve Marta.

Por que um Oásis no Zarzalejo?

Un Oasis en Zarzalejo, construyendo un sueño común from Gsa Madrid on Vimeo.

“Você conhece esses belos lugares do mundo que têm um grande potencial, mas cada vez mais reduzidas suas chances de desenvolvimento sustentável? Há muitas comunidades com qualidades e recursos incríveis, onde as pessoas enfrentam obstáculos significativos para o seu desenvolvimento, especialmente os mais jovens, que estão sendo forçados em muitas ocasiões a abandonar seus lugares de origem. Esta situação é cada vez mais grave em um contexto de crise global, queremos impulsionar um movimento para que as comunidades descubram seus melhores potenciais de criatividade para viver com dignidade”, relata Marta.

Durante o Círculo de Sonhos em Zarzalejo, os moradores disseram que queriam se destacar e dar valor ao que já existe e já está acontecendo. “Com a energia transformadora do Oasis, queremos mostrar que não precisamos abandonar nossas comunidades para criar a melhor vida que você quer ter, ou seja, uma vida mais sustentável em termos sociais, econômicos e ecológicos”.

Para que isso aconteça Marta conta que “queremos unir jovens de áreas rurais da Espanha e Holanda, para que juntos possam liderar este processo de participação social, sustentabilidade e desenvolvimento da comunidade, e promover que depois de passar pelo Oasis, possam conectar a sua capacidade de realizar sonhos ação e promoção de iniciativas de empreendedorismo social em suas próprias comunidades”.

Para que este grande sonho se realize, o GSA Madrid e o Elos Holanda, abriram uma campanha de crowdfounding. “Para cobrir os custos com a organização e permitir que os jovens de diferentes regiões rurais possam chegar Zarzalejo para participar, precisamos de sua contribuição para a nossa campanha! Saiba mais e nos ajude a espalhar a nossa história através:

Campanha de Crowdfounding Oasis Zarzalejo

A metade do valor eles já conseguiram. Ajudem a espalhar esta notícia!!!

120 vezes o melhor dos mundos em que sonhamos viver: quem aceita o desafio?

28/09/2012 | mktvirtual | Blog, Uncategorized | Tags: Tags:, , , , , , , , , , , , , , , ,

Por Tony Marlon*


30 dias. 59 jovens. 8 línguas. 3 continentes representados e mais de 300 horas de atividades vivenciais. Apenas em Santos, litoral paulista, onde acontece o programa, três comunidades e centenas de moradores mobilizados em mutirões de transformação. A começar pelos números, o programa Guerreiros Sem Armas impressiona. Mas não para por aí.
Desde que aconteceu pela primeira vez, há 12 anos, o número de jovens formados pelo Instituto Elos chega a 360, criando uma vibrante e dinâmica rede de empreendedores sociais que já impactou positivamente mais de 200 comunidades em 26 países.
E não, não para por aí.

O DESAFIO
Entre um abraço e outro de despedida, as últimas horas de Guerreiros Sem Armas 2012 foram de muita conversa olhando para o futuro. Planos e mais planos desenhados em cima de um desafio, mais que isso: um convite a continuar caminhando juntos: realizar 120 Oasis pelo mundo.

Lançado o desafio, os guerreiros iniciaram as conversas de canto de corredor buscando as melhores estratégias para fazer esses Oasis acontecerem. Glenda Barcarol e Clarissa Müller, no entanto, já sabiam o “como”, já sabiam a comunidade e até a forma de convidar as pessoas. Esperavam apenas chegar a Curitiba, Paraná, para diminuir em um o marcador do desafio.

“Ainda durante o programa, Glenda e eu decidimos a data do nosso mutirão: seria nos dias 11 e 12 de agosto”, contou Clarissa, direto da Finlândia, onde está em um intercâmbio. “Eu estava com a passagem comprada e teríamos que fazer o Oasis a tempo de realizarmos tudo antes da minha viagem”. E deu. Uma semana depois de voltarem pra casa, Clarissa e Glenda visitavam o Jardim Paraná, comunidade que recebeu o mutirão. E a multidão: guerreiros sem armas do Brasil, Índia e Turquia foram para Curitiba oferecer seu apoio. E um pouco mais de fé de que tudo daria certo. E deu.

“Quando pensávamos que ninguém iria aparecer pro Show de Talentos, o salão ficou lotado, com diversos talentos infantis, juvenis e adultos sendo apresentados e aplaudidos”, lembrou Clarissa. Tudo que aconteceu no Oasis Jardim Paraná pode ser visto clicando aqui.

Da experiência, além das transformações físicas e das relações, muito aprendizado a ser compartilhado. Esse, aliás, é o próximo desafio de Glenda, que junto com Cibele Debiasi, participante do movimento Oasis Santa Catarina (realizado em 2009 – saiba mais aqui), oferece através da HUB Escola de Florianópolis a oportunidade de mais pessoas conhecerem e serem impactadas positivamente pela Metodologia Oasis. Clarissa, de muito longe, continua sua jornada de guerreira publicando um e-book,  onde relata sua experiência no GSA 2012 – uma das contrapartidas oferecidas àqueles que apoiaram financeiramente a sua participação no programa, e já prepara os próximos passos: conversas com organizações locais finlandesas para a realização de mais Oasis por lá.

“Há um momento que representa, com perfeição, meu aprendizado no Oasis Jardim Paraná. Foi no dia da Re-Evolução, quando uma senhora ligada à igreja, responsável pelo espaço que estávamos usando para as reuniões na comunidade, falou para o João (oasiano de 8 anos, nosso companheiro do início ao fim): ‘Viu só, João, que legal o que eles fizeram aqui na comunidade?’. Ele, então, se virou para ela e respondeu: ‘Não foram eles, fomos nós’. Aí está um lindo ponto de luz que sabemos que vai continuar brilhando e iluminando a comunidade Jardim Paraná.”
Clarissa Müller

BOAS HISTÓRIAS INSPIRAM BOAS HISTÓRIAS

Boas conversas, aliás, tem sido uma estratégia bastante usada por essa turma para inspirar, engajar e mobilizar pessoas pelo Brasil e pelo mundo. Na volta ao seu estado, Minas Gerais, Nuno Arcanjo participou da Escola de Inverno do The Hub Belo Horizonte, com uma oficina criativa em que compartilhou a experiência de ter vivido o Guerreiros Sem Armas. Com o título “Como transformar a realidade com as próprias mãos”, o encontro conectou novos interessados em espalhar a metodologia pela cidade, impulsionando novos mutirões.

A pouco mais de 220 quilômetros dali, Mayra Temponi também acessava suas boas lembranças, inspirando pelo exemplo. Compartilhou suas memórias com jovens empreendedores sociais conectados à CHOICE, além de reunir colegas e alunos de onde trabalha para vivenciar as etapas da metodologia através de workshops.

Sua contribuição direta para cumprir a meta? Está organizando seu primeiro Oasis em uma escola pública na periferia de Viçosa – as conversas com a escola já começaram. Entre os envolvidos nessa história que apenas começa, estudantes universitários da cidade, jovens que moram nas comunidades e Gabriel Agrelli, Guerreiro Sem Armas 2009 que fez acontecer dezenas de mutirões em escolas de Campinas, interior de São Paulo. Mayra se conectou a Gabriel em busca de inspiração e estratégias que deram certo em seus Oasis, trazendo para a prática o “fazer junto”.

Conexão. Está aí uma palavra que resume bem as histórias que estamos contando. É um que encontra ao outro, e que acaba descobrindo que ambos têm amigos, ideias e sonhos em comum. E, pronto: a conexão se estabelece. E os vínculos se estreitam. Transformações a caminho. É o caso do Oasis Berlim. Pensado por um grupo do qual faz parte a guerreira sem armas 2011 Johanna Bachmann, quem esteve inspirando os participantes da iniciativa em uma conversa recente foi Nola Bally, guerreira 2012. Duas gerações de participantes oferecendo o seu melhor para fazer acontecer transformações reais na Alemanha. Mas não é apenas por lá.
João Henrique Arcalá conheceu a Metodologia Oasis ano passado, quando esteve no Rio de Janeiro para o Oasis Cidade de Deus, uma das maiores comunidades do Rio de Janeiro. Raphael Polydoro também participou da jornada. E também da última edição do Guerreiros Sem Armas. Resultado: estão começando a desenhar o Oasis – Gaia Sorocaba.  Com um oceano de distância, as quenianas Grace e Peninah já fizeram acontecer transformações com a materialização de sonhos coletivos no Oasis Kaswesha.

E para colocar na agenda, a Mão na Massa do Oasis Aldeia – Continuidade dos Sonhos,  acontece nos dias 29 e 30 de setembro, com a participação direta do guerreiro de Minas Gerais, Brasil, Jamerson Mancio que está fazendo junto com o Instituto Elos a mobilização dos moradores. (saiba mais na página da Comunidade Nostra).

E o número de Oasis pelo mundo aumentará nos próximos dias. Kurt Schoop, Guerreiro de Curaçao, e Felipe Denz, do Brasil, estão em fase de planejamento. No mínimo, sete novos Oasis à vista. Vamos?
Seja por meio de workshops ou vivências, boas conversas ou colocando literalmente a mão na massa, jovens de todos os cantos estão fazendo acontecer transformações ES-PE-TA-CU-LA-RES em pessoas e lugares.
E você, qual está sendo o seu jeito de mudar o mundo? Conte pra gente.

*Tony Marlon é guerreiro sem armas 2009, formado em Jornalismo pela Universidade Santo Amaro – UNISA, vem se dedicando a pesquisar como as Tecnologias de Informação e Comunicação – TICs, impulsionam transformações e geram impactos positivos reais na sociedade. Empreendendo o Instituto Escola de Notícias desde 2011, tem o sonho de contribuir para uma educação fortalecedora de propósitos, não criadora de profissões.  tony@escoladenoticias.org / www.escoladenoticias.org

Oasis Capão: saiba como foi o Olhar e Afeto

| mktvirtual | Blog, desenvolvimento local | Tags: Tags:, , , , , , , , , ,

Por Ana Avelar e Renata Laurentino

Somos da nova geração de guerreiros sem armas; vivemos a formação em julho deste ano. Quando pensávamos que estávamos indo para casa descansar e assimilar tudo que vivenciamos em um mês muito intenso e de muito trabalho, recebemos uma notícia espetacular: fomos convidadas a facilitar um Oasis no Capão, um bairro da cidade de Garopaba, em Santa Catarina. O Oasis Capão é uma iniciativa da Evoluos Foundation como forma de estimular o desenvolvimento local naquela comunidade.

Acabamos de vivenciar o OLHAR e o AFETO, numa expedição surpreendente. Todos os pequenos medos e receios de quem facilita um Oasis pela primeira vez estavam presentes, mas eles foram sendo dissolvidos em cada conversa, abraço, sorriso e história que ouvíamos. Também tivemos uma surpresa muito agradável, que foi a companhia da facilitadora Thaís Polydoro nesse primeiro contato com a comunidade. Ela foi uma grande inspiração na forma como se relaciona com as pessoas, e sua experiência nos ajudou a deixar nossas relações mais harmoniosas e verdadeiras. Valeu, Thaís! Sua presença foi E-P-E-T-A-C-U-L-A-R!

A comunidade nos recebeu carinhosamente e nos emocionou ao apresentar seus preciosos talentos. Aprendemos a fazer trança de chapéu da palha do butiazeiro, farinha de mandioca, tarrafa… Uma cultura tradicional que estava timidamente escondida na modernidade foi se revelando.

Finalizamos a expedição com uma “Roda de Histórias” onde estavam presentes representantes de muitas gerações e de muitas tribos, formando assim nossa teia de memórias e saberes que continuará sendo tecida durante as próximas etapas o jogo.

Em outubro voltaremos à comunidade para realizar o Show de Talentos e encontrar sonhos. Enviaremos notícias! Se quiserem acompanhar e participar do OASIS CAPÃO, curta a página no Facebook:

https://www.facebook.com/OasisCapaoSc?skip_nax_wizard=true

Um grande abraço

Uma estreia Oasis no Reino Unido: em Newham não há nada que você não possa fazer

| mktvirtual | Blog, Uncategorized | Tags: Tags:, , , , , , , , , ,

Por Mara Verduin

“Vocês sabem o que é comunidade. Isso me lembrou de quando as docas eram uma comunidade real. Estou sem palavras “, diz Mick, 91 anos, um dos cidadãos que participaram ativamente na realização de uma ação para a renovação da comunidade  Centro Comunitário Asta em Londres Newham, durante a Mão na Massa no primeiro  Oasis Training já realizado na Inglaterra.

Uma equipe de facilitação única e diversa coordenou o Oasis Training em colaboração com a empresa global de cosméticos naturais LUSH e com a ONG local  The Momentum Project. De 28 agosto a 2 setembro de 2012, um grupo diverso de funcionários e clientes da LUSH, moradores de Newham e participantes da formação, junto com os cidadãos de Silvertown e Woolwich Norte, realizaram um sonho comum da comunidade e transformaram completamente o Centro Comunitário Asta Centro sob a facilitação de Rodrigo Rubido Alonso (Brasil), Niels Koldewijn (Holanda) e Conchi (Espanha).

Silvertown & North Woolwich

Uma comunidade jovem, vibrante e dinâmica é o reflexo do altíssimo grau de diversidade – 65% dos moradores é de origem não britânica e 1/3 da população tem idade inferior a 20 anos.  O que se vê na região hoje é fruto do processo histórico do lugar que, no passado, foi reconhecido por abrigar uma economia florescente graças à presença das Docas Reais e das muitas indústrias ali instaladas, que atraíram grande número de imigrantes.  Durante o século XX, com a modernização de processos e posterior retirada das Docas da área, a redução de empregos contribuiu para a degradação do bairro.  (fonte: http://momentumproject.tumblr.com).

Um Oasis  sustentável

Este Oasis foi realizado como parte da política de responsabilidade social da LUSH e, por isso, o grupo de participantes deste Oasis Traning aceitou um desafio adicional: realizar o jogo Oasis mais sustentável até agora e respeitar o meio ambiente, tanto quanto possível. Divididos em diferentes equipes, os participantes tiveram cuidados como gestão de energia, reduzindo o lixo através da reutilização e reciclagem de maneiras mais criativas e cuidado  com a alimentação, orgânica e quase sempre vegana.

Sonho compartilhado: os exemplos positivos e oportunidades para os jovens

Em conversas com os cidadãos jovens e mais velhos da área, surgiu uma imagem clara dos sonhos da comunidade: “centro comunitário aberto todos os dias”, “um lugar para as crianças brincarem em segurança”, “pessoas da comunidade doando seu tempo para ensinar habilidades  às crianças “, “uma comunidade pacífica e que se preocupa “. Os sonhos das crianças também apresentaram uma mensagem clara: “nós não precisamos de um campo de futebol novo, queremos ter um treinador para dividir as equipes e nos treinar.”

De todos os sonhos que foram compartilhados na comunidade, a ideia de renovar a área ao redor do centro comunitário,  ligando assim os cidadãos de todas as idades com o espaço, surgiu naturalmente. Participantes da formação e membros da comunidade, entre 3 e 91 anos de idade, trabalharam por dois dias para transformar o quintal do centro comunitário. O que até então era um espaço escuro não utilizado foi transformado em uma bela e agradável área para a comunidade com bancos, cadeiras e mesas para apreciar o jardim, um palco com espelho, uma caixa de área para os pequenos montada em uma banheira velha. A grama alta deu lugar a um belo jardim cheio de ervas e plantas de pequeno porte, doadas por vários moradores e, por último, também foram construídos um maravilhoso forno de barro e uma churrasqueira de pedra.

Apesar de tudo isso, mais importante do que os resultados físicos é o que aconteceu socialmente. Pessoas que nunca tinham ouvido falar sobre o centro comunitário ou nunca haviam participado, apareceram e participaram da ação no fim de semana. Com muito entusiasmo, alguns comprometeram-se a doar um pouco do seu tempo compartilhando suas habilidades com as crianças da comunidade. Um dos jovens que cresceu no bairro e registrou a ação em vídeo, disse: “Eu cresci aqui e sei como é difícil sair da rua e não acabar na criminalidade. Esses jovens não têm muitos bons exemplos. Eu sou um exemplo de que é possível alcançar o que você sonha e, portanto, eu gostaria de doar uma noite por semana para ensinar estas crianças música e filmagem”.
E  as crianças? Além de participarem com entusiasmo na transformação física, iniciaram seu próprio projeto: sob a orientação da jovem Armina eles compuseram e apresentaram uma canção fabulosa sobre a vida em Newham: “Newham não há nada que você não pode fazer-ê”. De arrepiar! 

[youtube=http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=lckg6hokKO4]

Na página do Facebook Oasis Newham, você encontra muitas impressões e depoimentos sobre como foi viver e participar do evento. Nas próximas semanas, o vídeo oficial da formação será lançado no youtube.

Experiências – Fonte: http://momentumproject.tumblr.com/

Tracy, líder comunitaria em Silvertown

“Dizem que não existe coesão nesta comunidade. Mas quando isso começou, a novidade se espalhou. Pessoas que nunca souberam que havia um centro comunitário estavam aqui e trouxeram  seus amigos. Vieram pessoas de outros bairros. Ver os sorrisos nos rostos de todos me deixou muito orgulhosa. Eu tenho andado por aíagradecendo a todos”.

Saci Lloyd, co-fundador do Projeto Momentum

“Eu não estou surpreso com o que aconteceu neste fim de semana. Newham é um lugar muito estimulante para se estar agora, com muita coisa boa acontecendo: os Jogos Olímpicos, a nova zona de empreendimentos verdes… é o bairro mais jovem, mais vibrante e que mais cresce em Londres. Mas eu nunca tinha visto tanto burburinho. Este fim de semana pareceu que a comunidade finalmente está acordando.”

120 x the best of worlds: will you take the challenge?

| mktvirtual | Blog, Youth led initiative | Tags: Tags:, , , , , , , , , , ,

by Tony Marlon*

 

30 days. 59 youths. 8 languages. 3 continents represented and over 300 hours of experiential activities uninterrupted. In Santos, coast of São Paulo state, where the 7th edition of the program took place, 3 communities and hundreds of residents were mobilized in joint efforts for transformation. Starting with the numbers, the Warriors Without Weapons program impresses. But it doesn’t stop there.

Since its first edition, held 12 years ago, 360 youth were trained by Instituto Elos. This vibrant and dynamic network of social entrepreneurs, have positively impacted more than 200 communities in 26 countries.

And it doesn’t stop here.

 

THE CHALLENGE

Between a hug and farewell, the last hours of The Warriors Without Weapons 2012 were all about talking and looking to the future. Plans drawn upon a challenge, more: an invitation to keep materializing together: to perform 120 OASIS worldwide.

 

The challenge was launched, and the Warriors started conversations on every corner, for the best strategies to make that happen. Glenda Barcarol and Clarissa Muller, however, already knew “the” how, the community and even how to invite people. It was just a matter of getting back to Curitiba, Paraná, to decrease in one, the challenge’s marker.

 

“During the program, Glenda and I decided the date of our collective effort: it would be 11 and 12 August,” said Clarissa, from Finland, where she is now, on a learning interchange. “I had my ticket (to Finland) booked and the Oasis had to happen before my trip.” And it did. A week after returning from the program, Clarissa and Glenda visited Jardim Parana, to chosen community to host the Oasis. And the crowd: Warriors Without Weapons from Brazil, India and Turkey went to Curitiba to offer their support. And a little more faith that everything would work out. And it did.

 

“Right when we thought no one would show up at the Talent Show, the room was filled with diversity and talent: children, youth and adults performed and were applauded,” said Clarissa. Take a look on everything that happened in Oasis Jardim Parana (only in Portuguese). A lot of learning to be shared emerged from experience, besides the physical transformations and relationships built on the process. This sharing is, by the way, the next challenge for Glenda who offers the opportunity for more people to meet and be positively impacted by OASIS Methodology, together with Cibele Dibiasi – Oasis Santa Catarina 2009. Clarissa, continues her journey as a Warrior publishing an e-book (http://issuu.com/clarissabm/docs/uma_jornada_de_transforma__o) to tell her experience in the WWW 2012 as a gift to those who financially supported her participation in the program, and she is already preparing her next steps: conversations with Finnish local organizations to perform on OASIS over there.

 

GOOD STORIES INSPIRE MORE GOOD STORIES

The good conversations have been one of the main strategy for the Warriors 2012 to inspire, engage and mobilize people in Brazil and worldwide. Back home Nuno Arcanjo participated in The Hub Escola -Belo Horizonte, leading a creative workshop named “how to transform reality with your own hands” to share the experience he lived in the Warriors Without Weapons 2012.

 

Meanwhile, 220km away, Mayra Temponi also accessed her good memories to inspire by example. She shared her experience with some young social entrepreneurs from CHOICE, co-workers and students. What is her direct contribution to meeting the collective goal? She is organizing an OASIS in a public school on Viçosa and it will happen soon – the conversations with the school already started. She is getting serious support to achieve so: colleagues from university, young people who live in communities and Gabriel Agrelli, Warrior Without Weapons 2009, who accomplished to realize dozens of Oasis in public schools in Campinas, São Paulo.

 

 

Connection. This word summarizes the stories we’re telling. It is all about people meeting people, and discovering friends, ideas and dreams in common. And so the connection happens. And the bonds are made. Transformation makes its way. That’s the case of the OASIS Berlin. Organized by a group that includes the Warrior Without Weapons 2011, Johanna Bachmann, it ended up receiving inspiration, in a recent conversation from Nola Bally, Warrior 2012. Two generations of participants offering their best to make real change happen in Germany. But those encounters are not exclusive from Berlin: João Henrique Arcalá learned about the OASIS Game last year, when he was in Rio de Janeiro for the OASIS Cidade de Deus and Raphael Polydoro (Warrior 2012) were there too. Now the two of them together are planning the OASIS – Gaia Sorocaba. On the other side of the ocean, the Kenyan Peninah and Grace had organized the  OASIS Youth Day in Kaswesha. Barbara Jota also published the photos of the Oasis

 

A date to mark on your agenda: the hands on of Oasis Aldeia- continuity of dreams, takes place on 29 and 30 September, with the direct participation of the Warrior of Minas Gerais, Brazil, Jamerson Mancio doing that together with Instituto Elos. (Follow here http://www.facebook.com/events/414281561962168/).

 

These numbers are likely to grow in the coming days since Kurt Schoop, Warrior Curacao, and Felipe Denz, Brazil are in the planning stages. At least seven new OASIS about to happen.

Whether through workshops or experiences. Good conversations or putting literally Hands On, youth are making dramatic changes happen in people, relationships and places.

And you, what is the way you change the world? Tell us.

 

Tony Marlon Warrior Without Weapons 2009, graduated in journalism from the University of Santo Amaro – UNISA, has been dedicated to research how Information and Communication Technologies, drive change and create real positive impact on society. Leading the Instituto Escola de Notícias since 2011, he has the dream to contribute to an education able to empower purposes, not to create professions. tony@escoladenoticias.org / www.escoladenoticias.org

 

 

“There is a time that is, perfectly, my learning in OASIS Garden Paraná. It was the day of Re-Evolution, when a lady turned to the church, responsible for the space we were using for meetings in the community, spoke to John (oasiano 8 years, our partner from start to finish): “Did you see John that cool what they did here in the community? “. then He turned to her and said,” No they were, we were. “Ai is a beautiful spot of light that we know will continue shining and illuminating Community Garden Paraná “. Clarissa Muller

 

De sonhos também se vive

26/09/2012 | mktvirtual | Blog, Responsabilidade Social | Tags: Tags:, , , , , ,

Por Andreia Marques, em português de Portugal

O meu nome é Andreia Marques, sou portuguesa e trabalhei no Instituto Elos durante 9 meses como designer gráfica.

Regressei há cerca de um ano a Portugal mas, ainda hoje, continuo a estar ligada ao Elos – pontualmente como designer, sempre como porta-voz da Filosofia Elos de Transformação.

Nestas duas últimas semanas participei do primeiro Oasis Training feito por terras lusas e saí, mais uma vez, com a crença de que de sonhos se pode viver, quase como se fossem um pedaço de nuvem doce que comemos enquanto vemos tudo o resto passar. De sonhos se vive! Consegui entender, no olhar da Dona Dina, da Dona Maria, do Nuno, do Sinho e de muitas outras pessoas que encontrei, que me abraçaram sem me conhecer, que acreditaram e que assim tornaram o Bairro da Boba ainda mais belo, mais forte e mais próximo deles e dos outros.

Falou-se muito de pertença. Pertencer a África ou a Portugal, pertencer àquela comunidade. E acho que ficou o sorriso de entender que, de onde quer que se venha, não se é invisível.

Esta comunidade, tão diversa, é rica em talentos maravilhosos.

No sábado, tivemos oportunidade de “com-provar” um desses talentos através da Cachupa da D. Teresa e da D. Ana Maria. Esse prato típico africano uniu-nos a todos através do paladar e do prazer de comer juntos. O Marco, participante do Jogo Oasis foi um dos jovens da Boba que trouxe até nós estas riquezas humanas. Assim como ele, a Indira, a Dulce, o Tiago, a Bolacha, a Gisela e a Soraia – também participantes –, foram revelando aos poucos as pessoas incríveis que são, comprometidos com todo o processo do jogo e inteiros em tudo o que faziam. Descobri assim que existe em todos nós um super talento surpreendente: o segredo das histórias que somos, o segredo de SER.

Todos nós temos exactamente aquilo que precisamos e somos o primeiro de todos os recursos.

Durante o jogo, somos desafiados a ultrapassar limites pessoais e de convivência. Somos desafiados a aceitar, a fluir, a ser tolerantes e a acreditar SEMPRE em coisas impossíveis – “6 coisas impossíveis antes do café da manhã”, como diria Alice no País das Maravilhas!

Neste caso, desde logo, fomos confrontados com a dificuldade de termos autorização para utilizar espaços públicos, ainda que estivéssemos a melhorá-los. E, após várias conversas com as autoridades locais, só conseguimos essa abertura na véspera do mão na massa. Foi um desafio, sim! Muito grande! Mas eu, que de céptica não tenho absolutamente nada, acredito que todos os desafios são presentes que devemos aceitar com boa fé na incerteza do futuro. E assim foi.

Sábado de manhã juntamo-nos todos na praça da Rampa – é assim que lhe chamam. E organizámo-nos contrariando todos os medos e apreensões do começo do jogo de que ninguém aparecesse para ajudar. Nesta comunidade, as pessoas apareceram às 9 horas da manhã em ponto, com toda a sua força. Durante os 2 dias fomos, com toda a certeza, mais de 150 oasianos. E juntos tornámos real o sonho de ter um espaço público de convivência para todas as idades.

Durante o mutirão pintaram-se 6 murais, fizeram-se brinquedos com pneus, palletes e restos de madeira, cuidou-se dos jardins e apanhou-se todo o lixo.

No final do primeiro dia, a Letícia, de 4 anos, plantou a primeira árvore – uma romãzeira, símbolo de abundância!

Depois de tudo ficaram, não só os resultados, mas também os sentimentos e as palavras dos 27 participantes e dos moradores. O meu sentimento mais profundo é o de que dizer “Eu posso!” é a coisa mais poderosa do mundo.

“A gratidão de quem recebe um benefício é bem menor que o prazer de quem o faz! Obrigado por fazerem parte da remodelação do meu bairro. Foi uma experiência incrível com vocês. Uma experiência fantástica que não sera metida numa caxinha de pandora e esquecida. Só espero que mantenhamos a união e os contactos. ♥ ♥ ♥”

by Bota (um dos moradores)

“O sonho foi realizado no Casal da Boba, no concelho da Amadora! E agora imaginem, eu só fui no segundo dia (e último) da actividade e só via pessoas e pessoas a chegar da comunidade envolvente, todos a colaborar, a pintar, a serrar, a plantar, a limpar… Éramos mais de 100, certamente! O almoço foi feito por uma das moradoras do bairro, com alimentos comprados através de um dinheiro que os dinamizadores angariaram em rifas vendidas na comunidade! Os materiais que se tiveram de arranjar, foram pedidos em lojas, tais como os pneus, as tintas, as paletes, as plantas, as árvores… ou seja, tudo totalmente gratuito angariado na sociedade! E no fim, ficou tudo lindo!!!!!!!!!!! Colorido… cheio de jogos para as crianças, como a macaca e o 35 e também pneus para as crianças brincarem, mesas para pic-nic e para jogar às cartas, bancos coloridos, sementeira, árvores, tudo limpinho, caixotes do lixo novos… e no fim, muita música e diversão!
Foi lindo de ver… foi mesmo! Eu estava cansada, fiquei a ver o final de fora… todos em roda, a baterem palmas uns aos outros, a abraçarem-se, a sorrirem… tudo tinha sido conseguido apenas numa semana, com a ajuda de todos!… Fiquei a olhar… a pensar, como quando queremos fazer algo, fazemos mesmo… quando acreditamos nas coisas, elas acontecem… quando podemos solicitar os recursos da sociedade e não gastar dinheiro, tudo é fácil… quando todos ajudam, tudo é simples… como a felicidade, os sorrisos, os abraços são comuns a toda a gente… independentemente de onde morem! Adorei!
By Andresa Salgueiro (criadora do projecto Believe)
“Espetacular…segue o teu sonho!… Nós sonhámos e conseguimos…”
By Marcus (participante do Jogo Oásis)
“Um milagre foi o que aconteceu hoje na Boba! Obrigada por esta experiência maravilhosa!”
By Ana Albergaria (professora no Bairro da Musgueira)

Clique aqui para ler o artigo de Virgílio Varela sobre o Oasis Training Casal da Boba>>

Guerreiros Sem Armas encerra neste sábado (5) com dois desafios: colocar projetos em prática e realizar 128 Oasis pelo mundo em 6 meses

3/02/2011 | mariana | Blog, Uncategorized | Tags: Tags:,

Os 64 jovens voltam para seus países com a missão de aplicar a metodologia Elos-Oasis em novas ações

Depois de 32 dias de dedicação total, mais 64 jovens de 20 países sairão formados do programa Guerreiros Sem Armas. No ultimo mês, eles atuaram em três comunidades de Santos (SP), e agora tem pela frente um desafio ainda maior: voltar para suas cidades e colocar em prática seus projetos pessoais em um curto período de tempo, além de realizar 128 Oasis (mutirões comunitários) pelo mundo, cumprindo assim o propósito do Instituto Elos Brasil, realizador do curso, que é “impulsionar o movimento de fazer acontecer já o mundo que todos sonhamos”.

Após vivenciarem os 7 passos da metodologia Elos-Oasis na Vila Pantanal, Tiro Naval e Mangue Seco-Butantã, os jovens empreendedores despediram-se dos moradores na segunda-feira (31) com uma Reunião de Futuro, em que conversaram sobre as realizações de janeiro e apoiaram-nos a pensar em novas ações, a partir dos sonhos da própria comunidade, para dar continuidade ao processo de transformação dos bairros.

Agora, é a vez dos jovens planejarem seus próximos passos com dois dias dedicados inteiramente para isso. Juntos, eles estão descobrindo pontos comuns e criando uma rede colaborativa, com a qual poderão se apoiar, mesmo estando a muitos quilômetros de distância uns dos outros. Essa rede servirá também para articular os 128 mutirões comunitários que o grupo pretende realizar por meio da metodologia Elos-Oasis apenas em 6 meses.

Confira o que foi realizado em cada uma das comunidades:

• Tiro Naval
Murais e jardins, preparação do espaço onde será a futura sede comunitária com início de muro de arrimo, projeto arquitetônico deste espaço, formação de grupo para padaria comunitária, com criação de logomarca e dois dias de produção e venda para público, e implementação de roteiro de Turismo de Base Comunitária, testado no último dia 26 (aniversário da cidade de Santos), com um grupo de 15 visitantes.

• Vila Pantanal
Adequação da estrutura para associação comunitária e praça com jardim na entrada da comunidade, além da criação da marca “Dona Pantanal”, com linha de produtos e acessórios produzidos com retalhos de lycra.

• Mangue Seco
Reforma de parquinho, construção da estrutura para sede comunitária, palco de madeira e criação de áreas verdes na comunidade. Para finalizar, o grupo atuou no desenvolvimento da linha de produtos “Mangue dos Sonhos” com produtos para casa, logomarca e blog.

Acompanhe os momentos finais do programa e saiba mais sobre os novos projetos pela cobertura online via Facebook, Twitter e pelo blog.

O programa Guerreiros Sem Armas tem patrocínio da Goodyear e da Agência Brasileira de Cooperação (ABC) do Ministério das Relações Exteriores do Governo Federal, parceria da Prefeitura Municipal de Santos, Sesc Santos, Santa Casa de Misericórdia de Santos, Commundo e Fairground e apoio do Núcleo Oikos, Sabesp, Gráfica Print Mais, Núcleo de Jovens Empreendedores do CIESP Santos, Grupo Ânima de Educação, Instituto Arapoty, Ecobrisa, Isca Tecnologias e Palas Athena. As organizações parcerias nas comunidades são a Academia de Capoeira Mestre Bahia, no Tiro Naval, Escola Municipal João Ignácio, no Mangue Seco-Butantã e Escola Municipal 28 de Fevereiro, na Vila Pantanal.

Tapanã é demais!

15/06/2010 | mktvirtual | Blog, Uncategorized | Tags: Tags:, , , , ,


Elos no Canteiro Mais Cultura é um processo de mobilização para a implementação dos Espaços Mais Cultura e das Bibliotecas Mais Cultura. O programa que está dividido em três momentos, entra agora na fase Mão na Massa, quando os moradores das comunidades materializam sonhos coletivos através da construção ou reforma de espaços públicos.

A etapa começou na comunidade Tapanã, em Belém, começou com alguns obstáculos e dificuldades, mas nada parou uma comunidade com muita vontade de transformação!

O encontro de construção da maquete foi adiado, o que parecia motivo de frustração acabou se mostrando uma estratégia de fortalecimento da comunidade: na noite prevista ao invés de construção da maquete, um encontro de realinhamento. Estar juntos e lembrar as motivações da cada um e de todos, deu ao grupo uma super energia, e muita vontade de fazer acontecer o projeto sonhado!

No dia seguinte quem fazia a mobilização era uma gente animada, com brilho no olho… Irresistível! Resultado: no final do dia, além de muita gente para participar na reunião a comunidade de Tapanã já contava com recursos materiais essenciais para iniciar a Mão na Massa! Existe forma melhor de começar a sonhar? Muitas idéias apareceram na maquete e essas idéias e sonhos vieram somados a muito comprometimento.



A Mão na Massa aconteceu em uma praça enorme na comunidade com a participação de vários recursos e talentos. Teve apresentação do grupo de capoeira e os talentos culinários prepararam Charque e mingau de arroz para os participantes.

No final do dia moradores, universitários e representantes do governo local e federal celebraram as realizações.



Alimentados por tanta realização e com os corações nutridos pela celebração e força de fazer juntos, os moradores compareceram à reunião de futuro, que foi rica de participação de vozes de reconhecimento e compromisso. Uma dessas vozes foi a da Do Carmo, que emocionou e traduziu o sentimento que enchia o ar:

“Quando a equipe veio apresentar o projeto fiquei desacreditada com o que poderia acontecer, mas quando vi o resultado de ontem (domingo) na praça, sei que temos mais forças para correr atrás dos sonhos e juntos podemos realizar o sonho que é de ocupar o espaço e dá vida ao espaço mais cultura por nós mesmos!”

A surpresa da noite ficou por conta da continuidade expontânea das ações na comunidade: Novos OASIS acontecerão em Tapanã, e a data já está marcada: Agosto. Se você mora em Belém, e gostaria de conhecer de perto uma comunidade cheia de empolgação e vontade de mudar o mundo…

Seja Bem Vindo! Tapanã é demais!