Renata Minerbo e Tony Marlon são selecionados para o “Redes e Ruas”

17/10/2014 | Ricardo Oliveros | Blog | Tags: Tags:, , , , , , ,

Hoje é dia de celebrar! Dois GSA 2009, Renata Minerbo Strengerowski e Tony Marlon, acabaram de ser selecionados pelo edital Redes e Ruas, iniciativa da Prefeitura de São Paulo, que vai promover e fortalecer ações de cultura e inclusão digital e iniciativas de ocupação dos espaços públicos na cidade de São Paulo. “Sou arquiteta urbanista formada em junho de 2011 no Mackenzie e Guerreira Sem Armas 2009. Sempre fui uma pessoa de ação, característica que se fortaleceu ainda mais depois do GSA. Esta experiência sem dúvida mudou minha vida, meu jeito de ver as coisas, de ser, de agir e, principalmente, me fez acreditar que realmente podemos fazer acontecer já o mundo que sonhamos”, Renata também foi co-facilitadora do GSA 2014 e foi selecionada com sua iniciativa Acupuntura Urbana. renata minerbo “O Acupuntura Urbana surgiu da união da Metodologia Elos com meus conhecimentos arquitetônicos e urbanísticos para a melhoria de espaços públicos. A participação dos cidadãos é sabidamente necessária para melhoria da cidade e de comunidades, porém dificilmente encontramos COMO fazer isso acontecer. A Metodologia Elos é eficiente neste aspecto, principalmente por fazer uma abordagem totalmente otimista e focada na abundância ao invés da escassez, além de descobrir de maneira eficiente e lúdica o sonho coletivo de uma comunidade”, explica Renata. tony marlon Tony Marlon é jornalista e tem o projeto Escola de Notícias (EDN) http://escoladenoticias.org/, que visa a geração de renda e trabalho para a equipe e os jovens comunicadores por meio de uma Produtora Cultural e oferece uma série de Oficinas Educativas dentro Escola de Comunicação Comunitária. Ele foi selecionado esse ano pelo Rebeldes Com Causa, um projeto da marca carioca Reserva, ao lado, de outras 10 ONGs nacionais e internacionais, e foi reconhecido como um dos três empreendedores sociais mais criativos e transformadores no Brasil no ano de 2013, pelo Jornal Folha de S.Paulo e a Fundação Schwab. Além de GSA 2009, Tony voltou a trabalhar na equipe de comunicação do Guerreiros, em 2011 e 2012. “Existem dois divisores de água na minha vida. O primeiro é entrar no Projeto Arrastão, 2001, o segundo entrar no GSA 2009. ambos são pontos de grande mudança. O primeiro me apresenta o sonho de transformar as coisas como possibilidade real. o segundo me mostra que para fazer isso eu preciso querer fazer e fazer. Só. Sem segredos. O EDN tem muito de GSA, pois a base é mesma: convidar as pessoas a serem suas melhores versões nos sonhos que escolheram. No caso, os jovens na Comunicação. O Oasis, pra mim, nunca foi caminho. Foi jeito de caminhar, como diz o Emygdio Carvalho Neto (outro participante do GSA 2009, um dos fundadores do Instituto Tellus e coordenador de mobilização do Centro de Liderança Publica). Por isso, a EDN é um Oasis na Mídia. Criar espaços seguros, acolhedores para buscar historias que deem movimento ao mundo”, responde Tony, sobre como ele vê sua participação no GSA e a EDN.

120 vezes o melhor dos mundos em que sonhamos viver: quem aceita o desafio?

28/09/2012 | mktvirtual | Blog, Uncategorized | Tags: Tags:, , , , , , , , , , , , , , , ,

Por Tony Marlon*


30 dias. 59 jovens. 8 línguas. 3 continentes representados e mais de 300 horas de atividades vivenciais. Apenas em Santos, litoral paulista, onde acontece o programa, três comunidades e centenas de moradores mobilizados em mutirões de transformação. A começar pelos números, o programa Guerreiros Sem Armas impressiona. Mas não para por aí.
Desde que aconteceu pela primeira vez, há 12 anos, o número de jovens formados pelo Instituto Elos chega a 360, criando uma vibrante e dinâmica rede de empreendedores sociais que já impactou positivamente mais de 200 comunidades em 26 países.
E não, não para por aí.

O DESAFIO
Entre um abraço e outro de despedida, as últimas horas de Guerreiros Sem Armas 2012 foram de muita conversa olhando para o futuro. Planos e mais planos desenhados em cima de um desafio, mais que isso: um convite a continuar caminhando juntos: realizar 120 Oasis pelo mundo.

Lançado o desafio, os guerreiros iniciaram as conversas de canto de corredor buscando as melhores estratégias para fazer esses Oasis acontecerem. Glenda Barcarol e Clarissa Müller, no entanto, já sabiam o “como”, já sabiam a comunidade e até a forma de convidar as pessoas. Esperavam apenas chegar a Curitiba, Paraná, para diminuir em um o marcador do desafio.

“Ainda durante o programa, Glenda e eu decidimos a data do nosso mutirão: seria nos dias 11 e 12 de agosto”, contou Clarissa, direto da Finlândia, onde está em um intercâmbio. “Eu estava com a passagem comprada e teríamos que fazer o Oasis a tempo de realizarmos tudo antes da minha viagem”. E deu. Uma semana depois de voltarem pra casa, Clarissa e Glenda visitavam o Jardim Paraná, comunidade que recebeu o mutirão. E a multidão: guerreiros sem armas do Brasil, Índia e Turquia foram para Curitiba oferecer seu apoio. E um pouco mais de fé de que tudo daria certo. E deu.

“Quando pensávamos que ninguém iria aparecer pro Show de Talentos, o salão ficou lotado, com diversos talentos infantis, juvenis e adultos sendo apresentados e aplaudidos”, lembrou Clarissa. Tudo que aconteceu no Oasis Jardim Paraná pode ser visto clicando aqui.

Da experiência, além das transformações físicas e das relações, muito aprendizado a ser compartilhado. Esse, aliás, é o próximo desafio de Glenda, que junto com Cibele Debiasi, participante do movimento Oasis Santa Catarina (realizado em 2009 – saiba mais aqui), oferece através da HUB Escola de Florianópolis a oportunidade de mais pessoas conhecerem e serem impactadas positivamente pela Metodologia Oasis. Clarissa, de muito longe, continua sua jornada de guerreira publicando um e-book,  onde relata sua experiência no GSA 2012 – uma das contrapartidas oferecidas àqueles que apoiaram financeiramente a sua participação no programa, e já prepara os próximos passos: conversas com organizações locais finlandesas para a realização de mais Oasis por lá.

“Há um momento que representa, com perfeição, meu aprendizado no Oasis Jardim Paraná. Foi no dia da Re-Evolução, quando uma senhora ligada à igreja, responsável pelo espaço que estávamos usando para as reuniões na comunidade, falou para o João (oasiano de 8 anos, nosso companheiro do início ao fim): ‘Viu só, João, que legal o que eles fizeram aqui na comunidade?’. Ele, então, se virou para ela e respondeu: ‘Não foram eles, fomos nós’. Aí está um lindo ponto de luz que sabemos que vai continuar brilhando e iluminando a comunidade Jardim Paraná.”
Clarissa Müller

BOAS HISTÓRIAS INSPIRAM BOAS HISTÓRIAS

Boas conversas, aliás, tem sido uma estratégia bastante usada por essa turma para inspirar, engajar e mobilizar pessoas pelo Brasil e pelo mundo. Na volta ao seu estado, Minas Gerais, Nuno Arcanjo participou da Escola de Inverno do The Hub Belo Horizonte, com uma oficina criativa em que compartilhou a experiência de ter vivido o Guerreiros Sem Armas. Com o título “Como transformar a realidade com as próprias mãos”, o encontro conectou novos interessados em espalhar a metodologia pela cidade, impulsionando novos mutirões.

A pouco mais de 220 quilômetros dali, Mayra Temponi também acessava suas boas lembranças, inspirando pelo exemplo. Compartilhou suas memórias com jovens empreendedores sociais conectados à CHOICE, além de reunir colegas e alunos de onde trabalha para vivenciar as etapas da metodologia através de workshops.

Sua contribuição direta para cumprir a meta? Está organizando seu primeiro Oasis em uma escola pública na periferia de Viçosa – as conversas com a escola já começaram. Entre os envolvidos nessa história que apenas começa, estudantes universitários da cidade, jovens que moram nas comunidades e Gabriel Agrelli, Guerreiro Sem Armas 2009 que fez acontecer dezenas de mutirões em escolas de Campinas, interior de São Paulo. Mayra se conectou a Gabriel em busca de inspiração e estratégias que deram certo em seus Oasis, trazendo para a prática o “fazer junto”.

Conexão. Está aí uma palavra que resume bem as histórias que estamos contando. É um que encontra ao outro, e que acaba descobrindo que ambos têm amigos, ideias e sonhos em comum. E, pronto: a conexão se estabelece. E os vínculos se estreitam. Transformações a caminho. É o caso do Oasis Berlim. Pensado por um grupo do qual faz parte a guerreira sem armas 2011 Johanna Bachmann, quem esteve inspirando os participantes da iniciativa em uma conversa recente foi Nola Bally, guerreira 2012. Duas gerações de participantes oferecendo o seu melhor para fazer acontecer transformações reais na Alemanha. Mas não é apenas por lá.
João Henrique Arcalá conheceu a Metodologia Oasis ano passado, quando esteve no Rio de Janeiro para o Oasis Cidade de Deus, uma das maiores comunidades do Rio de Janeiro. Raphael Polydoro também participou da jornada. E também da última edição do Guerreiros Sem Armas. Resultado: estão começando a desenhar o Oasis – Gaia Sorocaba.  Com um oceano de distância, as quenianas Grace e Peninah já fizeram acontecer transformações com a materialização de sonhos coletivos no Oasis Kaswesha.

E para colocar na agenda, a Mão na Massa do Oasis Aldeia – Continuidade dos Sonhos,  acontece nos dias 29 e 30 de setembro, com a participação direta do guerreiro de Minas Gerais, Brasil, Jamerson Mancio que está fazendo junto com o Instituto Elos a mobilização dos moradores. (saiba mais na página da Comunidade Nostra).

E o número de Oasis pelo mundo aumentará nos próximos dias. Kurt Schoop, Guerreiro de Curaçao, e Felipe Denz, do Brasil, estão em fase de planejamento. No mínimo, sete novos Oasis à vista. Vamos?
Seja por meio de workshops ou vivências, boas conversas ou colocando literalmente a mão na massa, jovens de todos os cantos estão fazendo acontecer transformações ES-PE-TA-CU-LA-RES em pessoas e lugares.
E você, qual está sendo o seu jeito de mudar o mundo? Conte pra gente.

*Tony Marlon é guerreiro sem armas 2009, formado em Jornalismo pela Universidade Santo Amaro – UNISA, vem se dedicando a pesquisar como as Tecnologias de Informação e Comunicação – TICs, impulsionam transformações e geram impactos positivos reais na sociedade. Empreendendo o Instituto Escola de Notícias desde 2011, tem o sonho de contribuir para uma educação fortalecedora de propósitos, não criadora de profissões.  tony@escoladenoticias.org / www.escoladenoticias.org

120 x the best of worlds: will you take the challenge?

| mktvirtual | Blog, Youth led initiative | Tags: Tags:, , , , , , , , , , ,

by Tony Marlon*

 

30 days. 59 youths. 8 languages. 3 continents represented and over 300 hours of experiential activities uninterrupted. In Santos, coast of São Paulo state, where the 7th edition of the program took place, 3 communities and hundreds of residents were mobilized in joint efforts for transformation. Starting with the numbers, the Warriors Without Weapons program impresses. But it doesn’t stop there.

Since its first edition, held 12 years ago, 360 youth were trained by Instituto Elos. This vibrant and dynamic network of social entrepreneurs, have positively impacted more than 200 communities in 26 countries.

And it doesn’t stop here.

 

THE CHALLENGE

Between a hug and farewell, the last hours of The Warriors Without Weapons 2012 were all about talking and looking to the future. Plans drawn upon a challenge, more: an invitation to keep materializing together: to perform 120 OASIS worldwide.

 

The challenge was launched, and the Warriors started conversations on every corner, for the best strategies to make that happen. Glenda Barcarol and Clarissa Muller, however, already knew “the” how, the community and even how to invite people. It was just a matter of getting back to Curitiba, Paraná, to decrease in one, the challenge’s marker.

 

“During the program, Glenda and I decided the date of our collective effort: it would be 11 and 12 August,” said Clarissa, from Finland, where she is now, on a learning interchange. “I had my ticket (to Finland) booked and the Oasis had to happen before my trip.” And it did. A week after returning from the program, Clarissa and Glenda visited Jardim Parana, to chosen community to host the Oasis. And the crowd: Warriors Without Weapons from Brazil, India and Turkey went to Curitiba to offer their support. And a little more faith that everything would work out. And it did.

 

“Right when we thought no one would show up at the Talent Show, the room was filled with diversity and talent: children, youth and adults performed and were applauded,” said Clarissa. Take a look on everything that happened in Oasis Jardim Parana (only in Portuguese). A lot of learning to be shared emerged from experience, besides the physical transformations and relationships built on the process. This sharing is, by the way, the next challenge for Glenda who offers the opportunity for more people to meet and be positively impacted by OASIS Methodology, together with Cibele Dibiasi – Oasis Santa Catarina 2009. Clarissa, continues her journey as a Warrior publishing an e-book (http://issuu.com/clarissabm/docs/uma_jornada_de_transforma__o) to tell her experience in the WWW 2012 as a gift to those who financially supported her participation in the program, and she is already preparing her next steps: conversations with Finnish local organizations to perform on OASIS over there.

 

GOOD STORIES INSPIRE MORE GOOD STORIES

The good conversations have been one of the main strategy for the Warriors 2012 to inspire, engage and mobilize people in Brazil and worldwide. Back home Nuno Arcanjo participated in The Hub Escola -Belo Horizonte, leading a creative workshop named “how to transform reality with your own hands” to share the experience he lived in the Warriors Without Weapons 2012.

 

Meanwhile, 220km away, Mayra Temponi also accessed her good memories to inspire by example. She shared her experience with some young social entrepreneurs from CHOICE, co-workers and students. What is her direct contribution to meeting the collective goal? She is organizing an OASIS in a public school on Viçosa and it will happen soon – the conversations with the school already started. She is getting serious support to achieve so: colleagues from university, young people who live in communities and Gabriel Agrelli, Warrior Without Weapons 2009, who accomplished to realize dozens of Oasis in public schools in Campinas, São Paulo.

 

 

Connection. This word summarizes the stories we’re telling. It is all about people meeting people, and discovering friends, ideas and dreams in common. And so the connection happens. And the bonds are made. Transformation makes its way. That’s the case of the OASIS Berlin. Organized by a group that includes the Warrior Without Weapons 2011, Johanna Bachmann, it ended up receiving inspiration, in a recent conversation from Nola Bally, Warrior 2012. Two generations of participants offering their best to make real change happen in Germany. But those encounters are not exclusive from Berlin: João Henrique Arcalá learned about the OASIS Game last year, when he was in Rio de Janeiro for the OASIS Cidade de Deus and Raphael Polydoro (Warrior 2012) were there too. Now the two of them together are planning the OASIS – Gaia Sorocaba. On the other side of the ocean, the Kenyan Peninah and Grace had organized the  OASIS Youth Day in Kaswesha. Barbara Jota also published the photos of the Oasis

 

A date to mark on your agenda: the hands on of Oasis Aldeia- continuity of dreams, takes place on 29 and 30 September, with the direct participation of the Warrior of Minas Gerais, Brazil, Jamerson Mancio doing that together with Instituto Elos. (Follow here http://www.facebook.com/events/414281561962168/).

 

These numbers are likely to grow in the coming days since Kurt Schoop, Warrior Curacao, and Felipe Denz, Brazil are in the planning stages. At least seven new OASIS about to happen.

Whether through workshops or experiences. Good conversations or putting literally Hands On, youth are making dramatic changes happen in people, relationships and places.

And you, what is the way you change the world? Tell us.

 

Tony Marlon Warrior Without Weapons 2009, graduated in journalism from the University of Santo Amaro – UNISA, has been dedicated to research how Information and Communication Technologies, drive change and create real positive impact on society. Leading the Instituto Escola de Notícias since 2011, he has the dream to contribute to an education able to empower purposes, not to create professions. tony@escoladenoticias.org / www.escoladenoticias.org

 

 

“There is a time that is, perfectly, my learning in OASIS Garden Paraná. It was the day of Re-Evolution, when a lady turned to the church, responsible for the space we were using for meetings in the community, spoke to John (oasiano 8 years, our partner from start to finish): “Did you see John that cool what they did here in the community? “. then He turned to her and said,” No they were, we were. “Ai is a beautiful spot of light that we know will continue shining and illuminating Community Garden Paraná “. Clarissa Muller