Mão na massa na Vivência II DIST Rio Largo tem apoio dos residenciais vizinhos

21/02/2017 | Ricardo Oliveros | Blog, desenvolvimento local, Responsabilidade Social | Tags: Tags:, , , , ,

Nos dias 18 e 19 de fevereiro cerca de 90 pessoas colocaram a mão na massa no Residencial Jarbas Oiticica.  A segunda Vivência Oasis Rio Largo é uma parceria do Elos com IADH – Instituto de Assessoria para o Desenvolvimento Humano, realizado dentro da estratégia Desenvolvimento Integrado e Sustentável dos Territórios (DIST), apoiado pelo Fundo Socioambiental da Caixa Econômica Federal.

001

No sábado contamos com um grupo de Desbravadores, meninos e meninas com idades entre 10 e 15 anos, de diferentes classes sociais, cor, ou religião. Eles se encontram uma vez por semana para aprender a desenvolver talentos, habilidades, percepções, e o gosto pela natureza e nos apoiaram muito no plantio das árvores, em especial.

005

Além disso, estudantes de Design e Arquitetura da UFAL, moradores do Teotônio Vilela e José Carlos Pierucetti (residenciais do Minha Casa, Minha Vida que receberam a Vivência Oasis em outubro/novembro de 2016) e claro, os moradores do Jarbas.

014

Foi muito especial ver os moradores dos diferentes residenciais que fazem parte do projeto DIST em Rio Largo trabalhando lado a lado. Isso tem tudo a ver com a proposta de articular os sonhadores de diferentes comunidades para fazer junto a transformação do território de uma forma ampla, e não somente o seu residencial!

004

“Eu adorei o projeto, adorei todo mundo. Eu fiquei muito feliz de ver todo mundo reunido, todo mundo junto, um sendo companheiro do outro, ajudando o outro. Foi muito gratificante. Tô aqui para o que der e vier. Não vou desistir. Até comentei com meu esposo: ‘Enoque, esse projeto veio para clarear mais a minha mente, pra eu aprender mais, saber mais como lidar com as pessoas e, eu disse a ele, eu precisava disso e chegou na hora certa’”.  Ivone, moradora do Jarbas Oiticica e participante do grupo Faz Sabor que preparou o almoço comunitário do mutirão.

A lista de sonhos realizados em um final de semana: plantio de 33 mudas de árvores (espécies da Mata Atlântica como Ipês e diversas frutíferas como pitangueira, mangueira e cajueiro), plantio de 2 jardins na entrada do conjunto, construção e instalação de conjunto de bancos e mesa na entrada do conjunto, instalação e pintura de placa de identificação do conjunto, pintura das guias com cal, pintura de amarelinha e abecedário no chão, sinalização das quadras (“A” e “I”) e dos pontos de ônibus, construção, instalação e pintura de 5 bancos no canteiro central e construção, instalação e pintura de 7 lixeiras.

“Hoje eu estou me sentindo bem mais tranqüila, saí da ansiedade de alto grau. Principalmente porque eu tive a oportunidade de ver a transformação em uma pequena dose. Eu olhava o processo e dizia ‘não vamos chegar lá, vamos ficar muito distantes’, e aí comecei a ficar ansiosa, aquela coisa de querer fazer tudo, e não acreditar que os outros dentro de sua calma e tranqüilidade, pudessem nos fazer ver a transformação. Hoje, ao entrar no Residencial eu não esperava já ver hoje tudo em desacordo, mas fiquei feliz e está de acordo com a transformação desde quando aqui chegamos. A sementinha da transformação pra mim hoje se revelou.”  Rilma Brandão, participante da formação e equipe IADH.

O que eles combinaram para os próximos passos: regar as árvores e jardins plantados (conversar com os moradores que moram mais próximo para que apóiem na rega diária), fazer um mutirão de limpeza e plantio na primeira praça (o mutirão no canteiro central foi até o trecho onde inicia a primeira praça do Conjunto, no total são 5 praças) e finalizar algumas pinturas (de bancos e de sinalização das quadras) e a colocação das estacas em volta de algumas mudas de árvores.