Guia das Comunidades Empreendedoras ganha versão digital

8/06/2016 | Ricardo Oliveros | Blog, Comunidade Elos, desenvolvimento local, Responsabilidade Social | Tags: Tags:, , , , , , , ,

Compartilhar nossos aprendizados sempre fez parte dos nossos sonhos, por isto estamos celebrando a edição digital do Guia das Comunidades Empreendedoras. A publicação tem como origem  as experiências e estratégias vivenciadas pelo Instituto Elos nas parcerias com diferentes comunidades.

Uma das bases está nas histórias e aprendizados do programa Comunidades Empreendedoras, realizado dentro da estratégia Desenvolvimento Integrado e Sustentável dos Territórios (DIST), apoiado pelo Fundo Socioambiental da Caixa Econômica Federal, realizado em 4 comunidades da Baixada Santista  simultaneamente, sendo  Vila Progresso e Caminho da União, em Santos, Prainha, no Guarujá, e Guapurá, em Itanhaém, no período de janeiro de 2014 a dezembro de 2015.

Guia

A experiência do Comunidades Empreendedoras impulsionou e apoiou a criação de oito projetos comunitários, inclusive de geração de renda, cinemas de rua, mutirões, feiras comunitárias e outras atividades. Thaís Polydoro, gestora do programa, reforçou que esse é justamente um dos objetivos do Elos.

“A gente convida as pessoas a descobrirem seus talentos e colocarem esses potenciais em prática sempre com o sonho coletivo como foco. A partir daí, podem nascer cinemas de rua, feirinhas gastronômicas, padarias comunitárias, praças. É fazendo o que a gente ama, unidos por um sonho comum, que construímos o melhor mundo”, diz Thaís.

interno

Este guia está dividido em 4 partes:

a. 7 passos para você e seu grupo transformarem seu bairro em uma comunidade empreendedora.

b. Inspiração: histórias das comunidades empreendedoras

c. Coisas que você pode fazer em sua comunidade

d. Uma série de anexos que podem ajudar em seus empreendimentos comunitários

Comunidades Empreendedoras recebem Geladeiras Literárias dos jovens das Oficinas Querô

13/11/2015 | Ricardo Oliveros | Blog, Comunidade Elos, desenvolvimento local, Responsabilidade Social | Tags: Tags:, , , , , , , , ,

Todos os anos, os jovens que participam das Oficinas Querô são estimulados a realizarem uma Ação Social na região. Pensando não somente no universo audiovisual, mas também na transformação humana, a intenção da turma de 2015 foi a de levar mais cultura às comunidades, tendo a literatura como ferramenta. Foram 4 geladeiras doadas por moradores das cidades da Baixada Santista foram customizadas e transformadas em bibliotecas.

geladeiras

Para isso, houve uma mobilização regional, de diferentes formas. O artista Leandro Shesko ministrou aos jovens uma aula prática sobre pintura em grafite e customizou uma das geladeiras. As outras três foram pintadas pelos próprios jovens, desde a criação do desenho até a aplicação na geladeira.

Cerca de 300 livros foram doados por moradores e empresas da região, em campanha realizada online, via redes sociais e aplicativos no celular e as tintas foram doadas pela empresa Tintas e Tintas. Após essa união, foi possível realizar a entrega das Geladeiras Literárias em 4 comunidades da região: Vila Progresso, Morro do Tetéu, Morro do José Menino e Vila Charms (São Vicente).

geladeiras 02

No Morro do Tetéu, por exemplo, a Geladeira Literária ficou no H&D Infinity, espaço criado pela moradora Nani, onde realizam atividades com cerca de 20 crianças, oferecendo aulas de canto, dança e show de talentos. “Acho a cultura importante pra criança se desenvolver e aprender, por isso tivemos essa ideia de criar um espaço para que as crianças saíssem das ruas”. Sobre as geladeiras, Nani agradeceu por mais esta atividade com as crianças. “Achei a ideia da geladeira ótima pois aqui nada acontece sem união. Agora temos um ponto de pesquisa e leitura para a criançada”.

Todo o processo de captação dos materiais, pintura das geladeiras e a entrega nas comunidades foi registrado em um documentário, com direção dos jovens Lucas Camargo e Danielle Gonçalves. “Foi emocionante ver a reação das pessoas ao receberem as geladeiras. Adoramos colocar em prática esse documentário e ver o quanto livros que pareciam tão comuns no nosso dia a dia foram tão importantes para os moradores”, comenta o jovem Lucas.

geladeiras 03

As Oficinas Querô têm patrocínio do Banco Votorantim. O filme poderá ser visto na sessão de estreia dos curtas das Oficinas Querô 2015, marcado para o dia 15 de dezembro, no Cine Roxy 5 (Gonzaga).

A ação foi inspirada em intervenção realizada por artistas em Brasília, televisionada recentemente em rede nacional e que ganhando espaço pelas cidades brasileiras. A intenção de trazer a ideia para a Baixada Santista, incentivando a união das artes regionais e a troca de experiências das comunidades com artistas e jovens do Querô foi do profissional Rubens de Farias, educador das aulas de Coletivo das Oficinas Querô.

“Dessa forma, os jovens do Querô deixam um legado às comunidades da região, contribuindo para a troca de experiências entre comunidade e juventude”, comenta o educador.

A articulação com as comunidades se tornou possível devido à parceria com o Instituto Elos, que realiza atividades nas comunidades da região por meio do programa Comunidades Empreendedoras, com o apoio do Plano de Aplicação do Fundo Socioambiental da CAIXA, que faz parte do DIST (Desenvolvimento Integrado e Sustentável de Territórios).

Elos e Instituto Querô se unem para levar cinema e intervenções urbanas à comunidade Vila Progresso

29/06/2015 | Ricardo Oliveros | Blog, desenvolvimento local, Responsabilidade Social | Tags: Tags:, , ,

O Roda VP é um movimento cultural que valoriza os recursos e talentos da Vila Progresso e da região dos morros por meio da realização de mutirões de pintura, cinemas de rua, festas comunitárias temáticas, feiras de troca, oficinas culturais e rodas de conversa. Esta ação faz parte do Comunidades Empreendedoras, com o apoio do Plano de Aplicação do Fundo Socioambiental da CAIXA, que faz parte da estratégia conhecida como DIST (Desenvolvimento Integrado e Sustentável de Territórios).

VP01

Há 10 meses, os moradores participantes do grupo Guerreiros do Progresso realizam cinema para crianças toda última terça-feira no Bar da Conceição, na rua 1 e, no último fim de semana, iniciaram as ações de pintura. Como o cinema tem dado o tom desse movimento, o Elos convidou o Instituto Querô para fazer parte desta ação como consultor, apoiando na curadoria dos filmes do cinema de rua (infantil e adulto), oferecendo oficinas de produção cultural e audiovisual e apoiando na mobilização da juventude.

VP02

A ideia é que os moradores façam a produção das sessões de cinema de rua, exibindo filmes ao ar livre para toda a comunidade. “Nossa primeira sessão aconteceu dia 16 de junho com o filme Saneamento Básico, do diretor Jorge Furtado. Foi muito bacana ver todos envolvidos durante a preparação da atividade, como a moradora Dona Maria, sempre disposta a correr atrás dos preparativos” comenta a produtora do Instituto Querô, Samara Carvalho. A ideia é orientá-los por 6 meses, para que depois os próprios moradores deem continuidade às atividades desenvolvidas.

 IMG-20150613-WA0008

Oficina de Identidade Visual - O próximo encontro está marcado para terça-feira (30/06), quando será realizada uma Oficina de Identidade Visual com o profissional Nilton Ferreira. Capacitado pela primeira turma das Oficinas Querô em 2006, atualmente é designer, editor e cinegrafista, e ajudará os moradores na formação da identidade visual do grupo Guerreiros do Progresso.

Além dessa atividade, também estão programadas oficinas de social mídia, produção de evento, cobertura de evento, edição de vídeo, cineclubismo e dois Encontros Inspiradores, que buscam trazer profissionais do audiovisual para multiplicar conhecimento com os moradores ou levar à comunidade em uma viagem à São Paulo para conhecer ações similares.

Retrospectiva 2014: Comunidades Empreendedoras brilham com apoio do Plano de Aplicação do Fundo Socioambiental da CAIXA

18/12/2014 | Ricardo Oliveros | Blog, desenvolvimento local, Linha do Tempo Elos, Responsabilidade Social | Tags: Tags:, , , , , , ,

Depois do GSA 2014, estamos acompanhando bem de perto as comunidades parceiras, com o apoio do Plano de Aplicação do Fundo Socioambiental da CAIXA, que faz parte da estratégia conhecida como DIST (Desenvolvimento Integrado e Sustentável de Territórios). A experiência que estamos fazendo no Comunidades Empreendedoras está envolvendo o Guapurá, a Prainha, a Vila Progresso, e o Caminho da União, todas localizadas na Baixada Santista.

COMUNIDADES EMPREENDEDORAS 01

Os momentos mais especiais é quando reunimos as 4 comunidades empreendedoras

A equipe Elos, sob a coordenação da Thais Polydoro, tem ido semanalmente em todos estes lugares para acompanhar os sonhos de Re-Evolução de cada um, fazendo oficinas comunitárias, trazendo inspiração com visitas às experiências muito bacanas que conhecemos, promovendo encontros com apoio de outras entidades, e fazendo com que as pessoas entendam que seu papel é de colocar a mão na massa para transformarem seus sonhos em realidade.

COMUNIDADES EMPREENDEDORAS 02

A Oficina com o pessoal do Arte nas Cotas foi um mão na massa com muita arte

“Esta parceria tem possibilitado que a gente acompanhe essas comunidades durante 18 meses e potencialize o que elas querem. Com o apoio, podemos realizar as reuniões, convidar pessoas para palestrarem, ampliar repertórios com visitas a outras comunidades”, explica a Thais, gestora de núcleo de realização do Elos.

Para o gerente nacional de Sustentabilidade e Responsabilidade Socioambiental da CAIXA, Jean Benevides, o programa Guerreiros Sem Armas traz forte investimento na mobilização das pessoas para a realização de desejos compartilhados pela comunidade. “Os aspectos positivos estão nas potencialidades das pessoas e lugares, e não nas dificuldades; na valorização dos sonhos compartilhados como impulsos para a mudança e na concretização de resultados visíveis em curto prazo”, comenta.

COMUNIDADES EMPREENDEDORAS 04

O Encontro sobre Economia Solidária no SESC foi um dos momentos inspiradores para todos em 2014

Neste ano, os números são a síntese de um processo de transformação do mundo, no lugar em que todos sonhamos:

a)    253 ações com 5005 participações (reuniões comunitárias, oficinas, reuniões de articulação estratégica, mutirões, SARAU, festas comunitárias, Cinema de rua).

b)    04 Visitas de inspiração com 140  participações. 20 mutirões comunitários de manutenção dos espaços contruídos no GSA 2014

c)    04 Vivencias na Filosofia Elos com 91 participações dos sonhadores das comunidades

d)    Mais de 1500 exemplares de Alo Alo das comunidades distribuídos

O pessoal do Guapurá manteve a pracinha do GSA 2014, batalhou e conseguiu os kits de exercícios ao ar livre: as aulas começam em janeiro

O pessoal do Guapurá manteve a pracinha do GSA 2014, batalhou e conseguiu os kits de exercícios ao ar livre: as aulas começam em janeiro

Cada um de nós que participou só tem a agradecer por este trabalho, os laços que foram criados, as respostas que estamos recebendo de todos, e muito felizes de ver o que todos estão alcançando, a cada dia. Em 2015, tem mais, muito mais!!!

Comunidades Empreendedoras no encontro do DIST em Brasília

6/11/2014 | Ricardo Oliveros | Blog, desenvolvimento local, Responsabilidade Social | Tags: Tags:, , , , , , , , , ,

A Thais Polydoro do Elos está em Brasília para o encontro do DIST (Desenvolvimento Integrado e Sustentável de Territórios), uma ação prevista no Plano de Aplicação do Fundo Socioambiental da CAIXA. Ela apresenta, ao lado de outras entidades, a experiência que estamos fazendo no Comunidades Empreendedoras: Guapurá, Prainha, Vila Progresso e Caminho da União, todas localizadas na Baixada Santista. DIST O conceito de moradia não se resume apenas a uma casa ou apartamento. É também a vida em comunidade, a administração do condomínio, o relacionamento com o poder público e a qualificação profissional. Foi a partir desse entendimento que a Caixa Econômica Federal, por meio do Fundo Social da CAIXA, vem desenvolvendo, junto com uma série de entidades, um programa que tem como objetivo estimular o desenvolvimento e sustentabilidade de conjuntos habitacionais do Programa Minha Casa Minha Vida. A edição de 2014 dos Guerreiros Sem Armas foi realizada em janeiro, mas o acompanhamento do projeto continua, com o apoio da CAIXA, com o nome de Comunidades Empreendedoras. “Esta parceria tem possibilitado que a gente acompanhe essas comunidades durante 18 meses e potencialize o que elas querem. Com o apoio, podemos realizar as reuniões, convidar pessoas para palestrarem, ampliar repertórios com visitas a outras comunidades”, explica a Thais, gestora de núcleo de realização do Elos. Para o gerente nacional de Sustentabilidade e Responsabilidade Socioambiental da CAIXA, Jean Benevides, o programa Guerreiros Sem Armas traz forte investimento na mobilização das pessoas para a realização de desejos compartilhados pela comunidade. “Os aspectos positivos estão nas potencialidades das pessoas e lugares, e não nas dificuldades; na valorização dos sonhos compartilhados como impulsos para a mudança e na concretização de resultados visíveis em curto prazo”, comenta.