Bazar especial traz produtos exclusivos da Amazônia e Mata Atlântica


Primeira edição do projeto batizado “Design da Mata”, de 8 a 11 de dezembro, nos Jardins, em São Paulo, venderá peças de artesanato tradicional com design diferenciado produzidas por comunidades locais
Que tal surpreender neste Natal com presentes exclusivos, que valorizam a brasilidade, oriundos da Amazônia e da Mata Atlântica, sem precisar sair de São Paulo?
A primeira edição do “Design da Mata”, bazar exclusivo de produtos da Amazônia e Mata Atlântica, será uma rara oportunidade para conhecer e adquirir centenas de artigos únicos que carregam a história de seus locais de origem. As peças misturam arte, design e artesanato sustentável, realizado a partir de matérias-primas naturais e conhecimento e técnicas tradicionais de comunidades que vivem dentro ou no entorno de Unidades de Conservação na Amazônia e na Mata Atlântica paulista.
O bazar acontece entre os dias 8 e 11 de dezembro, na loja da estilista Cecília Echenique, nos Jardins, em São Paulo. Entre os itens à venda, destaque para peças de decoração de interiores para toda a casa, como jogos de suplat e cestos de vários tamanhos, além de acessórios, como pulseiras típicas, porta-óculos, bijuterias e carteiras de festa femininas, e uma linha infantil composta, entre outros artigos, de móbiles para bebês e brinquedos educativos de madeira provenientes do manejo sustentável.
Cecília Echenique, que estuda etnias e seus costumes, abre sua loja para trazer a arte amazônica e da Mata Atlântica para a cidade de São Paulo. Seu trabalho com comunidades distantes vem se consolidando por meio do Projeto Libélula, concebido pela própria estilista, que une moda e sustentabilidade na criação de vestidos ecologicamente responsáveis confeccionados a partir de retalhos de tecidos doados por marcas brasileiras consagradas. As peças também farão parte do rol de produtos em exposição.
No bazar, o público terá, inclusive, a chance de obter mais informações para a realização de ecoturismo de base comunitária nas regiões da Amazônia e da Mata Atlântica paulista, no Vale do Ribeira, que reúnem visitas a atrativos naturais e convivência com comunidades locais.
“Um dos grandes diferenciais do bazar é não ter fins lucrativos. Trata-se de um grupo voluntário que está mobilizando parcerias e ativando sua rede de contatos. O valor arrecadado será todo rateado de maneira igual somente entre as comunidades produtoras, que ganharam uma nova oportunidade de gerar renda”, explica Mônica Barroso, coordenadora executiva do Núcleo Oikos, uma associação sem fins lucrativos que é um dos parceiros da iniciativa e tem como missão fortalecer os modos de vida coletivos, integrando geração de renda, expressão cultural e conservação ambiental.
Origem do projeto
A ideia do bazar surgiu de um grupo de jovens de São Paulo formado por empresários e executivos com vivência urbana e visão de mercado diferenciada e empreendedora. Depois de uma viagem de ecoturismo de base comunitária à Amazônia, realizada em outubro último, seus integrantes decidiram colaborar com o desenvolvimento local e se engajaram rapidamente na iniciativa.
“A viagem teve a intenção de abrir oportunidades de contribuição e a questão do artesanato chamou a atenção pelo grande potencial. Desse modo, vemos o bazar como uma retribuição pela forma como o grupo foi recebido na Amazônia e, mais do que isso, como uma semente que pode gerar diversos frutos em um futuro próximo”, ressalta Mônica. “É uma experiência pioneira que pode trazer um modelo de atuação diferente.”
* Fonte: Núcleo Oikos

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no google
Google+
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

DEIXE UM COMENTÁRIO

Categories

Arquivos