De sonhos também se vive

Por Andreia Marques, em português de Portugal
O meu nome é Andreia Marques, sou portuguesa e trabalhei no Instituto Elos durante 9 meses como designer gráfica.
Regressei há cerca de um ano a Portugal mas, ainda hoje, continuo a estar ligada ao Elos – pontualmente como designer, sempre como porta-voz da Filosofia Elos de Transformação.
Nestas duas últimas semanas participei do primeiro Oasis Training feito por terras lusas e saí, mais uma vez, com a crença de que de sonhos se pode viver, quase como se fossem um pedaço de nuvem doce que comemos enquanto vemos tudo o resto passar. De sonhos se vive! Consegui entender, no olhar da Dona Dina, da Dona Maria, do Nuno, do Sinho e de muitas outras pessoas que encontrei, que me abraçaram sem me conhecer, que acreditaram e que assim tornaram o Bairro da Boba ainda mais belo, mais forte e mais próximo deles e dos outros.
Falou-se muito de pertença. Pertencer a África ou a Portugal, pertencer àquela comunidade. E acho que ficou o sorriso de entender que, de onde quer que se venha, não se é invisível.

Esta comunidade, tão diversa, é rica em talentos maravilhosos.
No sábado, tivemos oportunidade de “com-provar” um desses talentos através da Cachupa da D. Teresa e da D. Ana Maria. Esse prato típico africano uniu-nos a todos através do paladar e do prazer de comer juntos. O Marco, participante do Jogo Oasis foi um dos jovens da Boba que trouxe até nós estas riquezas humanas. Assim como ele, a Indira, a Dulce, o Tiago, a Bolacha, a Gisela e a Soraia – também participantes –, foram revelando aos poucos as pessoas incríveis que são, comprometidos com todo o processo do jogo e inteiros em tudo o que faziam. Descobri assim que existe em todos nós um super talento surpreendente: o segredo das histórias que somos, o segredo de SER.
Todos nós temos exactamente aquilo que precisamos e somos o primeiro de todos os recursos.
Durante o jogo, somos desafiados a ultrapassar limites pessoais e de convivência. Somos desafiados a aceitar, a fluir, a ser tolerantes e a acreditar SEMPRE em coisas impossíveis – “6 coisas impossíveis antes do café da manhã”, como diria Alice no País das Maravilhas!
Neste caso, desde logo, fomos confrontados com a dificuldade de termos autorização para utilizar espaços públicos, ainda que estivéssemos a melhorá-los. E, após várias conversas com as autoridades locais, só conseguimos essa abertura na véspera do mão na massa. Foi um desafio, sim! Muito grande! Mas eu, que de céptica não tenho absolutamente nada, acredito que todos os desafios são presentes que devemos aceitar com boa fé na incerteza do futuro. E assim foi.

Sábado de manhã juntamo-nos todos na praça da Rampa – é assim que lhe chamam. E organizámo-nos contrariando todos os medos e apreensões do começo do jogo de que ninguém aparecesse para ajudar. Nesta comunidade, as pessoas apareceram às 9 horas da manhã em ponto, com toda a sua força. Durante os 2 dias fomos, com toda a certeza, mais de 150 oasianos. E juntos tornámos real o sonho de ter um espaço público de convivência para todas as idades.
Durante o mutirão pintaram-se 6 murais, fizeram-se brinquedos com pneus, palletes e restos de madeira, cuidou-se dos jardins e apanhou-se todo o lixo.

No final do primeiro dia, a Letícia, de 4 anos, plantou a primeira árvore – uma romãzeira, símbolo de abundância!

Depois de tudo ficaram, não só os resultados, mas também os sentimentos e as palavras dos 27 participantes e dos moradores. O meu sentimento mais profundo é o de que dizer “Eu posso!” é a coisa mais poderosa do mundo.

“A gratidão de quem recebe um benefício é bem menor que o prazer de quem o faz! Obrigado por fazerem parte da remodelação do meu bairro. Foi uma experiência incrível com vocês. Uma experiência fantástica que não sera metida numa caxinha de pandora e esquecida. Só espero que mantenhamos a união e os contactos. ♥ ♥ ♥”
by Bota (um dos moradores)

“O sonho foi realizado no Casal da Boba, no concelho da Amadora! E agora imaginem, eu só fui no segundo dia (e último) da actividade e só via pessoas e pessoas a chegar da comunidade envolvente, todos a colaborar, a pintar, a serrar, a plantar, a limpar… Éramos mais de 100, certamente! O almoço foi feito por uma das moradoras do bairro, com alimentos comprados através de um dinheiro que os dinamizadores angariaram em rifas vendidas na comunidade! Os materiais que se tiveram de arranjar, foram pedidos em lojas, tais como os pneus, as tintas, as paletes, as plantas, as árvores… ou seja, tudo totalmente gratuito angariado na sociedade! E no fim, ficou tudo lindo!!!!!!!!!!! Colorido… cheio de jogos para as crianças, como a macaca e o 35 e também pneus para as crianças brincarem, mesas para pic-nic e para jogar às cartas, bancos coloridos, sementeira, árvores, tudo limpinho, caixotes do lixo novos… e no fim, muita música e diversão!
Foi lindo de ver… foi mesmo! Eu estava cansada, fiquei a ver o final de fora… todos em roda, a baterem palmas uns aos outros, a abraçarem-se, a sorrirem… tudo tinha sido conseguido apenas numa semana, com a ajuda de todos!… Fiquei a olhar… a pensar, como quando queremos fazer algo, fazemos mesmo… quando acreditamos nas coisas, elas acontecem… quando podemos solicitar os recursos da sociedade e não gastar dinheiro, tudo é fácil… quando todos ajudam, tudo é simples… como a felicidade, os sorrisos, os abraços são comuns a toda a gente… independentemente de onde morem! Adorei!
By Andresa Salgueiro (criadora do projecto Believe)
“Espetacular…segue o teu sonho!… Nós sonhámos e conseguimos…”
By Marcus (participante do Jogo Oásis)
“Um milagre foi o que aconteceu hoje na Boba! Obrigada por esta experiência maravilhosa!”
By Ana Albergaria (professora no Bairro da Musgueira)

Clique aqui para ler o artigo de Virgílio Varela sobre o Oasis Training Casal da Boba>>

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no google
Google+
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

DEIXE UM COMENTÁRIO

Categories

Arquivos