Re-evolução nas comunidades guerreiras: Aldeia vive mais um Jogo Oasis

Jamerson Mancio*
Em agosto de 2012, aceitei um desafio: realizar um Oasis na Aldeia. Fazer parte desta ação foi muito especial pra mim. E foram vários motivos que a tornaram bem marcante. A Aldeia foi a comunidade em que atuei durante o Guerreiros Sem Armas 2012. Voltar na Aldeia e poder refazer o Jogo Oasis com aquelas pessoas logo após o término do programa GSA era algo que parecia ser surreal.
Foi um mês muito especial, assim como ter a oportunidade de trabalhar em conjunto com o Elos e diretamente com a Thaís Polydoro, que foi minha facilitadora durante  Guerreiros e, além de me apoiar no processo do Oasis, abriu as portas da sua casa. Compartilhar o dia a dia foi incrível e não imaginava que essas coisas fossem acontecer tão depressa e tão intensamente.

O maior desafio dessa vez era que eu estava facilitando o Jogo Oasis. Mesmo sendo a primeira vez, contei com o apoio do Instituto Elos que me cedeu toda estrutura de materiais pedagógicos, o que facilitou muito e possibilitou a aplicação e a apresentação do jogo. Ter a Thaís como coaching foi marcante e essencial para a realização da ação. Ela me deu várias dicas, relatou outras experiências, acreditou, foi e é uma grande fonte de inspiração. Contei ainda com o apoio do do Felipe e da Jéssica, da ONG Comunidade Nostra Aldeia. Todos depositaram total confiança em mim.
Os aprendizados foram inúmeros! Compreender o papel do facilitador no Jogo Oasis, fazer uma maquete – grato a Patrícia, elaborar os materiais de apresentação, preparar as reuniões de todos os passos do jogo, montar um relatório, realizar a prática, a vida dentro da comunidade… foram vários aprendizados. Um laço afetivo enorme foi criado e era mais difícil sair da Aldeia a cada dia. Construímos uma relação bem intensa e planejamos diversos sonhos a serem realizados em conjunto num futuro próximo. Aprendi muito com eles.

O que quase me atrapalhou foi a responsabilidade de ter algo materializado, mas, desde o começo, estava ciente que o importante é o processo – basta confiar! A cada roda que fazíamos, uma nova emoção surgia e a sensação de satisfação era enorme, independentemente do que tínhamos das coisas materiais que tínhamos concretizado durante a ação.
Os recursos vieram em abundância. A captação feita pela ONG Comunidade Nostra Aldeia e seus alunos foi ES-PE-TA-CU-LAR. Nós tínhamos tudo, muitas pessoas animadas, dispostas e determinadas a fazerem a construção do melhor mundo agora. E claro, tínhamos elas, esbanjando energia e vontade: as crianças.  Te convido a saber ainda mais acessando o relatório que preparei, disponível aqui.

Ficou lindo e não parou: após o Oasis, as realizações continuam.
Gratidão.

“Meu nome é Jamerson e eu digo hey!”
*Jamerson Mancio é arte-educador, estudante de Pedagogia da Universidade Federal de Juiz de Fora e empreendedor da Carrossel Mágico, onde aplica um novo conceito de recreação infantil. Reencontrou-se e acredita que conectar-se com si mesmo é a melhor maneira de agir na transformação do ser humano e suas comum-unidades.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no google
Google+
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

DEIXE UM COMENTÁRIO

Categories

Arquivos