GSA10: Sócrates representou o coletivo Vie La En Close no Encontro dos Sonhos

Sócrates representou o coletivo Vie La En Close no Encontro dos Sonhos do Guerreiros Sem Armas (#GSA10)
“Nestes tempos de tanta polarização, estar aqui dá a sensação que a gente não está sozinho”.
socrates
Para ele a quebrada é um lugar para se aprender muito. “ Mais do que entender a periferia como criativa, queremos mostrar que ela é criadora de conhecimento”. A partir da pergunta Será que o pensamento academico chega na perferia?
“Estamos criando espaços de mediação social, para questões como pertencimento compartilhado, para trazer ação, para ir além da empatia. Diminuir as desigualdades sociais é bom para toda a sociedade. É preciso dar a [email protected] o mesmo ponto de partida, independente do sexo, cor de pele, ou território que você pertença.
No final ele termina com uma provocação: “Pense em quem te inspira. E se elas estivessem aqui agora, você estaria na lista delas?”
Na roda de conversa com Sócrates centrou-se muito no tema da educação de qualidade para as pessoas nas favelas e no projeto onde o jazz é a fonte de conexão no bairro.
Ele compartilhou muitas histórias sobre pessoas de periferia que têm a chance de estudar na USP. Mas, como ele disse que isso é apenas o começo, hoje em dia continua a ser uma continuação dos desafios que uma pessoa de uma favela tem que superar, seja pela distância entre sua comunidade e a universidade, seja com o preconceito que ele pode encontrar em seu caminho. Um jovem respondeu: “Aprendi a nadar na corrente de um rio, você acha que agora vou me permitir afogar na piscina universitária?”
Atualmente, o conhecimento parece ser reservado exclusivamente para a classe média e superior. As barreiras não só são criadas através da classe, mas também praticamente com pessoas de comunidades que têm que viajar 22 km por dia para voltar dos locais dos seus estudos.
Há mais para aprender com as pessoas nessas áreas do que aprender com elas. Um dos seus sonhos é começar a Uniperifa, uma universidade próxima das realidades locais, trazendo a universidade para as ruas, para a realidade. O foco é dar a todos os novos pontos de vista, mudar as lógicas de aprendizagem, fazer uso especial do conhecimento local e ter aprendizado e educação desempenham um papel na construção da sociedade que queremos, sendo um diálogo.
Muito obrigado Sócrates por ter aceitado nosso convite, com uma fala inspiradora para as comunidades e para @s [email protected] Sem Armas!

Colheita gráfica feita Ariane Lopes Mates e Natasha Mendes Gabriel. Contamos ainda com a colaboração do Iván Lucas (GSA10), Jaana Pinheiro (GSA10), e Anderson Verdiano Agostinho (GSA10)
Colheita gráfica feita Ariane Lopes Mates e Natasha Mendes Gabriel. Contamos ainda com a colaboração do Iván Lucas (GSA10), Jaana Pinheiro (GSA10), e Anderson Verdiano Agostinho (GSA10)

LogosParceirosHorizontal

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no google
Google+
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

DEIXE UM COMENTÁRIO

Categories

Arquivos