Saiba como foi o mão na massa da Vivência Oasis DIST Rio Largo

Uma comunidade pronta para ação e muito generosa foi a definição que os facilitadores usaram para falar dos moradores e participantes da Vivência Oasis Rio Largo, uma parceria com IADH – Instituto de Assessoria para o Desenvolvimento Humano no projeto em Rio Largo, realizado dentro da estratégia Desenvolvimento Integrado e Sustentável dos Territórios (DIST), apoiado pelo Fundo Socioambiental da Caixa Econômica Federal.

Bazar para arrecadar fundos para o mão na massa
Bazar para arrecadar fundos para o mão na massa

Nos dias 12 e 13 de novembro, Clarissa MüllerNiels Koldewijn, Isadora Padilha e Sandra Amália, colocaram a mão na massa ao lado de 120 pessoas para realizar os sonhos coletivos dos Residenciais Barnabé Oiticica, José Carlos Pierucetti, Demorisvaldo Wanderlei, e Teotônio Vilela. Vale destacar que antes do mutirão, a comunidade captou mais de R$ 500 com rifa, bazar e algumas doações de amigos. “Isso é um dado bem bacana, porque eles foram muito pró-ativos. Visitaram todas as empresas da região, como usinas de beneficiamento da cana-de-açúcar, lojas de materiais de construção e indústrias diversas”, contou Clarissa.
Preparação do terreno do jardim
Preparação do terreno do jardim

“No final do dia do sábado quando a gente percebeu que no começo estava tudo mato e naquele momento estava tudo limpo foi muito impactante. Ver um pai passando com o carrinho do filho hoje de manhã lá, onde antes tinha um monte de lixo foi muito bom. Uma coisa que eu aprendi muito foi a comunicação. Chegar nas empresas e saber o que falar, como falar, saber escutar”, revelou José Flávio, participante da formação e morador do conjunto José Carlos Pierucetti.
Graças ao empenho de todos, num final de semana, eles fizeram a limpeza da praça, plantio de árvores e jardim, cercamento de parte do jardim, manutenção e pintura dos equipamentos de ginástica existentes, início da construção do piso do coreto (nivelamento com entulho e barro), início da construção da cobertura (pergolado) de bambu, reforma do piso da quadra, construção e instalação de brinquedo de pneus, início da construção e instalação de bancos de alvenaria e pintura de muro vizinho à quadra.
Paisagismo
Paisagismo

“O que mais brilhou pra mim foram as conquistas coletivas. Meu principal aprendizado é acreditar na capacidade do grupo, e isso vem de uma fala a partir de uma vivência comprovada não é só ‘ah, você tem que acreditar no seu potencial’, é baseado no que a gente já conseguiu”, Sandro, participante da formação e educador social no Instituto Girassol de Desenvolvimento Social.
Alongamento
Alongamento

No Encontro de Futuro, a comunidade não fez por menos. Tudo começou com uma sessão de alongamento e massagem, seguida de um banquete de café regional com cuscuz, tapioca, queijo coalho, pão caseiro, e depois foram formados os grupos:
– manutenção – focado no cuidado com as plantas (regar, replantar, controle das formigas saúva, etc.)
– mutirão – para finalização do coreto, cobertura e bambu, pinturas e bancos e construção da arquibancada de pneus e novos mobiliários
– captação de recursos – estratégias de captação permanente para viabilizar os mutirões e a manutenção da praça
– eventos e atividades – grupo que irá organizar e realizar eventos na praça, para estimular o uso e cuidado do espaço e, também, arrecadar fundos para manutenção da praça. Atividades como zumba, capoeira e bingo estão previstas.
“É a primeira vez que eu participo da Vivência Oasis, desde que eu conheci a metodologia em 2013 fiquei apaixonada, encantada. Porque eu acredito nisso, que a gente tem que fazer coisas diferentes que toquem o coração das pessoas. E eu fiquei extremamente tocada de ter sido aceita por Fátima e Érica. Vocês não têm noção de como foi estar na cozinha com vocês. O amor que elas entregaram para a comida vocês não tem noção. E a minha alegria de estar ali. Eu chamava: ‘Masterchef’, que era a Fátima e a Subchef Érica e perguntava a elas o que fazer, e eu numa alegria imensa de estar aprendendo com vocês. Porque eu não tive isso na minha vida, com a minha mãe. Eu tive com a Fátima e com a Érica. Muito obrigada”, Mônica Isabel Alves Rodrigues, participante da formação e técnica social da Caixa.
Muito mais do que construir praças, pintar muros, é este espírito de conexão uns com os outros, a formação mais profunda do sentido do que é uma comunidade, de fazer coisas juntos, ver que a transformação é possível e acontece, é o que sempre desejamos com as Vivências Oasis!!!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no google
Google+
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

DEIXE UM COMENTÁRIO

Categories

Arquivos